Gênesis 30

1. Quando Raquel viu que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã e disse a Jacó: Dá-me filhos, senão morrerei.

2. Então a ira de Jacó acendeu-se contra Raquel; e disse: Por acaso estou eu no lugar de Deus, que impediu que o teu ventre desse fruto?

3. Ela respondeu: Aqui está minha serva Bila; une-te a ela, para que eu tenha filhos por meio dela, recebendo-os em meu colo.

4. Assim ela lhe deu sua serva Bila por mulher; e Jacó conheceu-a intimamente.

5. Bila engravidou e deu um filho a Jacó.

6. Então Raquel disse: Deus me fez justiça; deu ouvidos à minha voz e me deu um filho; por isso, deu-lhe o nome de Dã.

7. E Bila, serva de Raquel, engravidou outra vez e deu um segundo filho a Jacó.

8. Então Raquel disse: Com grandes lutas lutei com minha irmã e venci; e deu-lhe o nome de Naftali.

9. Quando Leia percebeu que havia parado de ter filhos, tomou Zilpa, sua serva, e deu-a a Jacó por mulher.

10. E Zilpa, serva de Leia, deu à luz um filho a Jacó.

11. Então disse Leia: Afortunada! E deu-lhe o nome de Gade.

12. Depois Zilpa, serva de Leia, deu o segundo filho a Jacó.

13. Então disse Leia: Como sou feliz! As mulheres me chamarão feliz; e deu-lhe o nome de Aser.

14. Nos dias da colheita do trigo, Rúben foi ao campo, achou mandrágoras e as trouxe para Leia, sua mãe. Então Raquel disse a Leia: Peço-te que me dês das mandrágoras de teu filho.

15. Ao que Leia lhe respondeu: Não lhe basta ter me tirado o marido? Queres tirar também as mandrágoras de meu filho? E Raquel prosseguiu: Ele se deitará contigo esta noite em troca das mandrágoras de teu filho.

16. Quando Jacó veio do campo à tarde, Leia saiu-lhe ao encontro e disse: Irás unir-te a mim, porque de fato te aluguei em troca das mandrágoras de meu filho. E naquela noite Jacó deitou-se com ela.

17. E Deus ouviu Leia, que engravidou e deu a Jacó o quinto filho.

18. Então Leia disse: Deus me deu a minha recompensa, pois dei minha serva a meu marido. E deu ao filho o nome de Issacar.

19. Leia engravidou outra vez e deu a Jacó o sexto filho;

20. e disse: Deus me deu um dote excelente; agora meu marido ficará comigo, pois já lhe dei seis filhos. E deu-lhe o nome de Zebulom.

21. Depois ela deu à luz uma filha, e deu-lhe o nome de Diná.

22. E Deus lembrou-se também de Raquel, ouviu-a e a tornou fértil,

23. de modo que ela engravidou e deu à luz um filho e disse: Deus tirou-me a humilhação.

24. E deu-lhe o nome de José, dizendo: Acrescente-me o SENHOR ainda outro filho.

25. Depois que Raquel deu à luz José, Jacó disse a Labão: Despede-me, a fim de que eu vá para meu lar, para minha terra.

26. Dá-me as minhas mulheres, pelas quais trabalhei para ti, e os meus filhos, e deixa-me ir; pois sabes o serviço que te prestei.

27. Labão lhe respondeu: Se tenho achado favor aos teus olhos, fica comigo; pois tenho percebido que o SENHOR me abençoou por amor de ti.

28. E disse mais: Determina o teu salário, e eu o pagarei.

29. Ao que Jacó lhe respondeu: Tu sabes como trabalhei para ti e como cuidei do teu rebanho.

30. Porque o pouco que tinhas antes da minha chegada muito se multiplicou; e o SENHOR te abençoou desde que vim para cá. Agora, porém, quando trabalharei também por minha casa?

31. Labão insistiu: Que devo dar-te? Então Jacó respondeu: Não precisas dar-me nada; voltarei a apascentar teu rebanho e a cuidar dele se aceitares isto:

32. Passarei hoje por todo o teu rebanho, separando dele todos os salpicados e malhados, e todos os escuros entre as ovelhas, e os malhados e salpicados entre as cabras; este será o meu salário.

33. De modo que a minha justiça responderá por mim no dia de amanhã, quando verificares o meu salário diante de ti; tudo o que não for salpicado e malhado entre as cabras e escuro entre as ovelhas, e for achado comigo, será considerado furtado.

34. E Labão concordou, dizendo: Seja conforme a tua palavra.

35. E separou naquele mesmo dia os bodes listrados e malhados e todas as cabras salpicadas e malhadas, tudo em que havia branco, e todos os escuros entre os cordeiros, e os entregou ao cuidado de seus filhos;

36. e distanciou-se de Jacó três dias de caminhada; e Jacó continuou a cuidar do restante dos rebanhos de Labão.

37. Então Jacó tomou varas verdes de estoraque, de amendoeira e de plátano e, descascando nelas riscas brancas, deixou à vista o branco que nelas havia;

38. e pôs as varas que havia descascado em frente dos rebanhos, nos cochos, isto é, nos bebedouros, onde os rebanhos bebiam; e eles acasalavam quando vinham beber.

39. Os rebanhos acasalavam diante das varas, e as ovelhas davam crias listradas, salpicadas e malhadas.

40. Então Jacó separou os cordeiros, mas fez o restante dos rebanhos olhar para os listrados e para todos os escuros no rebanho de Labão; e pôs seu rebanho à parte, separando-o do rebanho de Labão.

41. e todas as vezes que as ovelhas fortes acasalavam, Jacó punha as varas nos bebedouros, diante dos olhos do rebanho, para que acasalassem diante das varas;

42. mas não as punha quando o rebanho era fraco. Assim as fracas ficavam para Labão, e as fortes, para Jacó.

43. E o homem enriqueceu muito; e veio a possuir grandes rebanhos, servas e servos, camelos e jumentos.