Gênesis 34

1. Diná, filha que Leia havia tido de Jacó, saiu para ver as filhas da terra.

2. E Siquém, filho de Hamor, o heveu, príncipe da terra, viu-a, tomou-a, deitou-se com ela e a violentou.

3. Assim, sua alma apegou-se a Diná, filha de Jacó, e, amando a moça, falou-lhe ao coração.

4. Então Siquém disse a seu pai Hamor: Consegue-me esta moça por mulher.

5. Jacó ouviu que Siquém havia tirado a honra de sua filha Diná. Jacó, porém, calou-se, até que chegassem seus filhos, que estavam no campo com o gado.

6. E Hamor, pai de Siquém, foi falar com Jacó.

7. Logo que souberam do caso, os filhos de Jacó vieram do campo. E ficaram tristes e furiosos, porque Siquém havia cometido uma insensatez em Israel, deitando-se com a filha de Jacó, coisa que não se devia fazer.

8. Então Hamor falou com eles: A alma de meu filho Siquém afeiçoou-se fortemente à vossa filha; peço-vos que a entregueis a ele por mulher.

9. Vinde fazer aliança de casamento conosco; dai-nos as vossas filhas e recebei as nossas.

10. Assim habitareis conosco; a terra estará à vossa disposição; habitai, negociai e adquiri propriedades nela.

11. Depois disso, Siquém disse ao pai e aos irmãos dela: Que eu ache favor aos vossos olhos, e darei o que me pedirdes;

12. exigi de mim o que quiserdes em dote e presentes, e darei o que me pedirdes; somente dai-me a moça por mulher.

13. Como Siquém havia tirado a honra de sua irmã Diná, os filhos de Jacó, em resposta, falaram traiçoeiramente a Siquém e a seu pai Hamor:

14. Não podemos fazer isto, dar a nossa irmã a um homem incircunciso; porque isso seria uma vergonha para nós.

15. Consentiremos sob esta única condição: se vos tornardes como nós, circuncidando-se todo homem entre vós;

16. então vos daremos nossas filhas e receberemos as vossas. Assim habitaremos convosco e nos tornaremos um só povo.

17. Mas se não nos ouvirdes e não vos circuncidardes, levaremos nossa irmã e iremos embora.

18. E suas palavras agradaram a Hamor e a seu filho Siquém.

19. E o rapaz não tardou em fazer isso, porque gostava da filha de Jacó. E ele era o mais honrado de toda a casa de seu pai.

20. Então Hamor e seu filho Siquém foram à porta da sua cidade e disseram aos homens da cidade:

21. Estes homens são de paz para conosco; que eles habitem na terra e negociem nela, pois é bastante espaçosa para eles. Vamos receber por mulher as suas filhas e entregar-lhes as nossas.

22. Mas aqueles homens consentirão em habitar conosco para nos tornarmos um só povo sob uma única condição: se todo homem entre nós for circuncidado como eles.

23. O gado, os bens e todos os animais deles não se tornarão nossos? Basta concordarmos com eles, e habitarão conosco.

24. E todos os que saíam da porta da cidade deram ouvidos a Hamor e a seu filho Siquém, e todo homem foi circuncidado, todos os que saíam pela porta da sua cidade.

25. Três dias depois, quando os homens ainda sentiam dores, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, entraram na cidade, que se sentia segura, e mataram todos os homens.

26. Mataram também Hamor e seu filho Siquém ao fio da espada; então tiraram Diná da casa de Siquém e saíram.

27. E os filhos de Jacó foram até onde estavam os mortos e saquearam a cidade; porque haviam tirado a honra de sua irmã.

28. Tomaram-lhes as ovelhas, os bois, os jumentos, e tanto o que havia na cidade como no campo;

29. e levaram como prisioneiros todos os seus bens, todas as crianças e as mulheres; e, despojando as casas, levaram tudo o que havia nelas.

30. Então Jacó disse a Simeão e a Levi: Vós me perturbastes, fazendo-me odiado pelos habitantes desta terra, os cananeus e os perizeus. Como tenho pouca gente, eles se ajuntarão e me matarão; e serei destruído com minha casa.

31. Mas eles responderam: Por acaso ele deveria ter tratado a nossa irmã como uma prostituta?