2 Crônicas 30

1. Depois disso, Ezequias enviou mensageiros por todo o Israel e Judá, e escreveu cartas a Efraim e a Manassés, para que viessem ao templo do SENHOR em Jerusalém, a fim de celebrarem a Páscoa do SENHOR, Deus de Israel.

2. O rei resolveu, com os chefes e com toda a comunidade em Jerusalém, celebrar a Páscoa no segundo mês,

3. pois não puderam celebrá-la no tempo próprio porque não havia sacerdotes santificados em número suficiente, e porque o povo não se tinha ajuntado em Jerusalém.

4. Isso pareceu bom aos olhos do rei e de toda a comunidade.

5. Então decretaram que se fizesse proclamação por todo o Israel, desde Berseba até Dã, para que viessem celebrar a Páscoa do SENHOR, Deus de Israel, em Jerusalém; porque muitos não a tinham celebrado como está escrito.

6. Os mensageiros partiram com as cartas do rei e dos seus chefes, por todo o Israel e Judá, segundo a ordem do rei, dizendo: Israelitas, voltai para o SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para o restante de vós que escapastes da mão dos reis da Assíria.

7. Não sejais como vossos antepassados e vossos parentes, que foram infiéis para com o SENHOR, Deus de seus pais, de modo que os entregou à desolação, como vedes.

8. Não sejais teimosos como vossos antepassados; mas sujeitai-vos ao SENHOR, e entrai no seu santuário que ele santificou para sempre, e cultuai o SENHOR, vosso Deus, para que a sua fúria se desvie de vós.

9. Pois, se voltardes para o SENHOR, vossos parentes e vossos filhos acharão misericórdia da parte dos que os levaram cativos, e voltarão para esta terra; porque o SENHOR, vosso Deus, é bom e compassivo, e não desviará o rosto de vós, se voltardes para ele.

10. Os mensageiros foram passando de cidade em cidade, pela terra de Efraim e Manassés, até Zebulom; mas os moradores riam e zombavam deles.

11. Mas alguns de Aser, de Manassés e de Zebulom se humilharam e vieram a Jerusalém.

12. E a mão de Deus esteve com Judá, unindo-os no propósito de cumprirem a ordem do rei e dos chefes, conforme a palavra do SENHOR.

13. Ajuntou-se muita gente em Jerusalém para celebrar a festa dos pães sem fermento no segundo mês, uma comunidade enorme.

14. Eles tiveram a iniciativa de tirar os altares que havia em Jerusalém. Também removeram todos os altares de incenso e os lançaram no ribeiro de Cedrom.

15. Então imolaram o sacrifício da Páscoa no décimo quarto dia do segundo mês; e os sacerdotes e levitas, humilhados, santificaram-se e trouxeram sacrifícios ao templo do SENHOR.

16. Eles ocuparam seus lugares, segundo a sua ordem, conforme a lei de Moisés, homem de Deus; e os sacerdotes aspergiram o sangue que recebiam das mãos dos levitas.

17. Pois havia muitos na comunidade que não se tinham santificado; então os levitas tiveram que sacrificar os cordeiros da Páscoa em favor de quem não estava limpo, para o santificarem ao SENHOR.

18. Porque muita gente, muitos de Efraim e Manassés, Issacar e Zebulom, não se havia purificado; apesar disso, comeram a Páscoa, embora não segundo o que está escrito; mas Ezequias tinha orado por eles, dizendo: O SENHOR, que é bom, perdoe quem

19. se dispôs a buscar a Deus, o SENHOR, o Deus de seus pais, ainda que não esteja purificado segundo a purificação do santuário.

20. Então o SENHOR ouviu Ezequias e poupou o povo.

21. Os israelitas que estavam em Jerusalém celebraram a festa dos pães sem fermento por sete dias com grande alegria; e os levitas e os sacerdotes louvaram o SENHOR todos os dias com instrumentos de som muito forte e estridente, cantando ao SENHOR.

22. Ezequias mostrou sua aprovação a todos os levitas de grande capacidade no serviço do SENHOR. Eles comeram das ofertas da festa por sete dias, sacrificando ofertas pacíficas e dando graças ao SENHOR, Deus de seus pais.

23. Então toda a comunidade resolveu celebrar mais sete dias e o fizeram por mais sete dias com alegria.

24. Pois Ezequias, rei de Judá, apresentou mil novilhos e sete mil ovelhas à comunidade para os sacrifícios; e os chefes apresentaram mil novilhos e dez mil ovelhas à comunidade; e muitos sacerdotes se santificaram.

25. Toda a comunidade de Judá se alegrou, juntamente com os sacerdotes e levitas, e toda a comunidade dos que vieram de Israel, e também os estrangeiros que vieram da terra de Israel e os que habitavam em Judá.

26. Assim houve grande alegria em Jerusalém, pois, desde os dias de Salomão, filho de Davi, rei de Israel, não havia acontecido algo semelhante em Jerusalém.

27. Então os sacerdotes e os levitas se levantaram e abençoaram o povo; e a sua voz foi ouvida, porque a sua oração chegou até a santa habitação de Deus, até o céu.