2 Crônicas 35

1. Então Josias celebrou a Páscoa ao SENHOR em Jerusalém; o cordeiro da Páscoa foi sacrificado no décimo quarto dia do primeiro mês.

2. Ele estabeleceu os sacerdotes nos seus cargos e os incentivou a servirem no templo do SENHOR.

3. E disse aos levitas que ensinavam a todo o Israel e que estavam consagrados ao SENHOR: Colocai a arca sagrada no templo que Salomão, filho de Davi, rei de Israel, construiu; não tereis mais esta carga sobre os vossos ombros. Agora servi ao SENHOR, vosso Deus, e ao seu povo Israel;

4. preparai-vos segundo as vossas famílias e segundo as vossas turmas, conforme o preceito de Davi, rei de Israel, e de seu filho Salomão.

5. Ficai no lugar santo segundo as divisões das famílias de vossos parentes, os filhos do povo, e haja uma parte de uma família levítica para cada divisão.

6. Também sacrificai a Páscoa, e santificai-vos e preparai-a para vossos parentes, fazendo conforme a palavra do SENHOR, dada por intermédio de Moisés.

7. Josias deu ao povo, a todos que ali estavam, cordeiros e cabritos do rebanho na quantidade de trinta mil, todos para os sacrifícios da Páscoa, e três mil novilhos de propriedade pessoal do rei.

8. Seus chefes também fizeram ofertas voluntárias ao povo, aos sacerdotes e aos levitas; Hilquias, Zacarias e Jeiel, chefes do templo de Deus, deram aos sacerdotes, para os sacrifícios da Páscoa, dois mil e seiscentos cordeiros e cabritos e trezentos novilhos.

9. Também Conanias, e Semaías e Netanel, seus irmãos, como também Hasabias, Jeiel e Jozabade, chefes dos levitas, apresentaram aos levitas, para os sacrifícios da Páscoa, cinco mil cordeiros e cabritos e quinhentos novilhos.

10. Assim se preparou o serviço, e puseram-se os sacerdotes nos seus postos, e os levitas em seus turnos, conforme a ordem do rei.

11. Então sacrificaram os cordeiros da Páscoa; e os sacerdotes aspergiam o sangue que recebiam das mãos dos levitas, e estes tiravam o couro.

12. Eles separaram os sacrifícios para os distribuírem ao povo, segundo as divisões das famílias, a fim de que os oferecessem ao SENHOR, como está escrito no livro de Moisés; e assim fizeram com os novilhos.

13. Assaram os cordeiros da Páscoa no fogo, segundo a norma; e cozinharam as ofertas sagradas em panelas, em caldeirões e em tachos, e rapidamente as repartiram entre todo o povo.

14. Depois prepararam o que era preciso para si e para os sacerdotes, porque os sacerdotes, descendentes de Arão, se ocuparam até a noite em oferecer os sacrifícios e a gordura; por isso, os levitas prepararam para si e para os sacerdotes, descendentes de Arão.

15. Os cantores, filhos de Asafe, estavam no seu posto, segundo o mandado de Davi, de Asafe, de Hemã e de Jedutum, vidente do rei; os porteiros também estavam em cada porta; não precisaram afastar-se do seu serviço, porque seus parentes, os levitas, preparavam o necessário para eles.

16. Assim se estabeleceu todo o serviço do SENHOR naquele dia, para celebrar a Páscoa, e para oferecer sacrifícios sobre o altar do SENHOR, conforme a determinação do rei Josias.

17. Os israelitas que estavam ali celebraram a Páscoa naquela ocasião, e a festa dos pães sem fermento, durante sete dias.

18. Nunca se havia celebrado em Israel uma Páscoa semelhante a essa, desde os dias do profeta Samuel; e nenhum dos reis de Israel havia celebrado tal Páscoa como a que Josias celebrou com os sacerdotes e levitas, e todo o Judá e Israel que ali estavam, e os habitantes de Jerusalém.

19. Foi no décimo oitavo ano do reinado de Josias que se celebrou esta Páscoa.

20. Depois de tudo isso, havendo Josias já preparado o templo, Neco, rei do Egito, subiu para guerrear em Carquêmis, junto ao Eufrates, então Josias foi combatê-lo.

21. Mas Neco mandou-lhe mensageiros, dizendo: Que tenho eu que fazer contigo, rei de Judá? Não estou te atacando hoje, e sim o reino contra o qual estou em guerra. Deus mandou que me apressasse. Não te oponhas a Deus, que está comigo, para que ele não te destrua.

22. Entretanto, Josias não quis voltar atrás, mas disfarçou-se para lutar contra ele e, não querendo dar atenção às palavras de Neco, que saíram da boca de Deus, o atacou no vale de Megido.

23. Os flecheiros atiraram contra o rei Josias. Então o rei disse a seus servos: Tirai-me daqui, porque estou gravemente ferido.

24. Seus servos o removeram do carro e, pondo-o no seu segundo carro, o trouxeram a Jerusalém. Ele morreu, e foi sepultado no sepulcro de seus pais. E todo o Judá e Jerusalém choraram por Josias.

25. Jeremias também fez uma lamentação sobre Josias, e todos os cantores e cantoras falam de Josias nas suas lamentações até o dia de hoje; e as estabeleceram por costume em Israel. Elas estão escritas nas Lamentações.

26. Os demais atos de Josias, e as suas boas obras, conforme o que está escrito na lei do SENHOR,

27. e os seus atos, desde os primeiros até os últimos, estão escritos no livro dos reis de Israel e de Judá.