2 Crônicas 36

1. O povo da terra tomou Jeoacaz, filho de Josias, e o constituiu rei em lugar de seu pai, em Jerusalém.

2. Jeoacaz tinha vinte e três anos quando começou a reinar, e reinou três meses em Jerusalém,

3. porque o rei do Egito o depôs em Jerusalém, e condenou a terra a pagar um tributo de cem talentos de prata e um talento de ouro.

4. Então o rei do Egito constituiu Eliaquim, irmão de Jeoacaz, rei sobre Judá e Jerusalém, e mudou-lhe o nome para Jeoaquim; mas Neco prendeu seu irmão Jeoacaz e o levou para o Egito.

5. Jeoaquim tinha vinte e cinco anos quando começou a reinar, e reinou onze anos em Jerusalém. Ele fez o que era mau diante do SENHOR, seu Deus.

6. Nabucodonosor, rei da Babilônia, o atacou e o prendeu com correntes, a fim de levá-lo para a Babilônia.

7. Nabucodonosor também levou alguns dos utensílios do templo para Babilônia, e os colocou no seu templo na Babilônia.

8. Os demais atos de Jeoaquim, e as abominações que praticou, e os atos de que o culpavam, estão escritos no livro dos reis de Israel e de Judá. E seu filho Joaquim reinou em seu lugar.

9. Joaquim tinha oito anos quando começou a reinar, e reinou três meses e dez dias em Jerusalém. Ele fez o que era mau diante do SENHOR.

10. Na primavera seguinte, o rei Nabucodonosor mandou que o levassem para Babilônia, com os utensílios preciosos do templo do SENHOR; e constituiu a Zedequias, irmão de Joaquim, rei sobre Judá e Jerusalém.

11. Zedequias tinha vinte e um anos quando começou a reinar, e reinou onze anos em Jerusalém.

12. Ele fez o que era mau diante do SENHOR, seu Deus; e não se humilhou diante do profeta Jeremias, que lhe falava da parte do SENHOR.

13. Também se rebelou contra o rei Nabucodonosor, que o tinha feito jurar por Deus. Mas, mesmo assim, continuou inflexível e obstinado para não voltar ao SENHOR, Deus de Israel.

14. Além disso, todos os chefes dos sacerdotes e o povo aumentavam cada vez mais a sua infidelidade, seguindo todas as abominações dos gentios; e profanaram o templo do SENHOR, que ele tinha santificado para si em Jerusalém.

15. O SENHOR, Deus de seus pais, falou-lhes insistentemente por intermédio de seus mensageiros, porque se compadeceu do seu povo e da sua habitação.

16. Porém, eles zombavam dos mensageiros de Deus, desprezando suas palavras e ridicularizando seus profetas, até que o furor do SENHOR aumentou tanto contra o seu povo, que não havia mais remédio.

17. Por isso, enviou o rei dos babilônios contra eles, o qual matou os seus jovens à espada, no seu santuário, e não teve piedade nem dos jovens, nem das moças, nem dos velhos, nem dos mais avançados em idade. Ele entregou todos eles nas mãos do rei.

18. Os utensílios do templo de Deus, grandes e pequenos, os tesouros do templo do SENHOR, e os tesouros do rei e dos seus príncipes, levou tudo para Babilônia.

19. Também queimaram o templo de Deus, derrubaram os muros de Jerusalém, incendiaram todos os seus palácios e destruíram todos os seus objetos preciosos.

20. Quem escapou da espada, ele levou para Babilônia; e se tornaram servos dele e de seus filhos, até o tempo do reino da Pérsia,

21. para se cumprir a palavra do SENHOR dita pela boca de Jeremias, até a terra ter desfrutado dos seus sábados; pois repousou por todos os dias da desolação, até que os setenta anos se cumpriram.

22. No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, o SENHOR despertou o espírito de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do SENHOR dita pela boca de Jeremias, de modo que ele fez proclamar por todo o seu reino, de viva voz e também por escrito, este decreto:

23. Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O SENHOR Deus dos céus me deu todos os reinos da terra e me encarregou de lhe construir um templo em Jerusalém, que fica em Judá. Que suba aquele dentre vós que pertencer a todo o seu povo, e o SENHOR, seu Deus, esteja com ele.