2 Crônicas 9

1. A rainha de Sabá ouviu falar da fama de Salomão e veio a Jerusalém para testá-lo com perguntas difíceis; trazia consigo uma grande comitiva, camelos carregados de especiarias, muito ouro e pedras preciosas. Encontrando-se com Salomão, discutiu com ele sobre tudo o que pensava.

2. Salomão lhe respondeu a todas as perguntas; não houve nada que Salomão não lhe soubesse explicar.

3. A rainha de Sabá ficou impressionada ao ver a sabedoria de Salomão, o palácio que havia construído,

4. as iguarias da sua mesa, o lugar dos seus oficiais, o serviço e os trajes dos seus criados e copeiros e os sacrifícios que ele oferecia no templo do SENHOR.

5. Então disse ao rei: O que ouvi na minha terra acerca dos teus feitos e da tua sabedoria era verdade.

6. Mas eu não o acreditava, até que vim e os meus olhos o viram. Não me contaram metade da grandeza da tua sabedoria. Tu ultrapassaste a fama que ouvi.

7. Felizes são os homens que te servem! Felizes são estes teus servos, que estão sempre diante de ti, e ouvem a tua sabedoria!

8. Bendito seja o SENHOR, teu Deus, que se agradou de ti, colocando-te sobre o seu trono para ser rei pelo SENHOR, teu Deus! Porque teu Deus amou Israel, para estabelecê-lo perpetuamente, por isso te constituiu rei sobre eles, para executares juízo e justiça.

9. Então ela deu ao rei cento e vinte talentos de ouro, muitas especiarias e pedras preciosas. Nunca se deu tantas especiarias como as que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão.

10. Os marinheiros de Hirão e de Salomão, que haviam trazido ouro de Ofir, também trouxeram madeira de cipreste e pedras preciosas.

11. Com a madeira de cipreste, o rei fez os degraus do templo do SENHOR e do palácio real, como também harpas e liras para os cantores, como nunca se tinha visto antes na terra de Judá.

12. O rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo quanto ela desejou, tudo quanto lhe pediu, muito além do que ela havia trazido ao rei. Então ela voltou para a sua terra, juntamente com os seus servos.

13. O peso do ouro que se trazia cada ano a Salomão era de seiscentos e sessenta e seis talentos,

14. fora o que os mercadores e negociantes traziam. Todos os reis da Arábia e os governadores do país também traziam ouro e prata a Salomão.

15. O rei Salomão fez duzentos escudos de ouro batido, cada um deles de seiscentos siclos de ouro batido;

16. e também trezentos escudos pequenos de ouro batido, cada um deles de trezentos siclos de ouro. O rei os guardou no palácio do bosque do Líbano.

17. O rei fez também um grande trono de marfim e o revestiu de ouro puro.

18. O trono tinha seis degraus e um estrado de ouro, que eram unidos ao trono, e, de ambos os lados, tinha braços junto ao lugar do assento, e dois leões de pé junto aos braços.

19. Havia doze leões em pé, um de cada lado, sobre os seis degraus. Nunca se havia feito nada igual em reino algum.

20. Todas as taças do rei Salomão eram de ouro, e todos os utensílios do palácio do bosque do Líbano eram de ouro puro. Nos dias de Salomão, a prata não tinha valor.

21. O rei tinha navios que iam a Társis com os marinheiros de Hirão. A cada três anos, os navios voltavam de Társis trazendo ouro, prata, marfim, macacos e pavões.

22. Assim o rei Salomão excedeu todos os reis da terra em riqueza e em sabedoria.

23. Todos os reis da terra iam a Salomão para ouvir a sabedoria que Deus lhe tinha posto no coração.

24. Cada um trazia o seu presente, utensílios de prata, utensílios de ouro, vestes, armaduras, especiarias, cavalos e mulas, uma quota de ano em ano.

25. Salomão teve também quatro mil estábulos para os cavalos de seus carros e doze mil cavaleiros; e os distribuiu nas frotas das cidades, deixando alguns com o rei, em Jerusalém.

26. Ele dominava sobre todos os reis, desde o rio até a terra dos filisteus, e até a fronteira do Egito.

27. O rei também tornou a prata tão comum em Jerusalém como as pedras, e os cedros eram tantos como os sicômoros da baixada.

28. Os cavalos eram trazidos do Egito e de todas as terras para Salomão.

29. O restante dos atos de Salomão, desde os primeiros até os últimos, estão escritos na história de Natã, o profeta, e na profecia de Aías, o silonita, e nas visões de Ido, o vidente, acerca de Jeroboão, filho de Nebate.

30. Salomão reinou quarenta anos sobre todo o Israel, em Jerusalém.

31. Ele descansou com seus pais e foi sepultado na cidade de seu pai Davi. Seu filho Roboão reinou em seu lugar.