Esdras 4

1. Quando os adversários de Judá e de Benjamim ouviram que os exilados estavam construindo o templo do SENHOR, o Deus de Israel,

2. foram falar com Zorobabel e com os chefes de famílias e disseram-lhes: Queremos ajudar-vos a construir, pois, como vós, buscamos o vosso Deus e temos oferecido sacrifícios a ele desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria, que nos trouxe para cá.

3. Mas Zorobabel, Jesua e os outros chefes de famílias de Israel lhes responderam: Não convém que vós e nós edifiquemos juntos um templo a nosso Deus; nós construiremos sozinhos para o SENHOR, o Deus de Israel, como nos ordenou Ciro, o rei da Pérsia.

4. Então os povos da região passaram a desanimar o povo de Judá e a intimidá-los, atrapalhando-os na construção.

5. Deram dinheiro a alguns conselheiros para fazerem oposição a eles e frustrar os seus planos. E fizeram isso durante todo o período de Ciro, rei da Pérsia, até o reinado de Dario, rei da Pérsia.

6. No início do reinado de Xerxes, escreveram uma acusação contra os habitantes de Judá e de Jerusalém.

7. E, durante o reinado de Artaxerxes, Bislão, Mitredate, Tabeel e os seus companheiros escreveram uma carta a Artaxerxes, rei da Pérsia. A carta foi escrita em aramaico, com caracteres aramaicos.

8. O comandante Reum e o secretário Sinsai escreveram uma carta contra Jerusalém ao rei Artaxerxes:

9. O comandante Reum, o secretário Sinsai e os seus companheiros, os juízes, os governadores, os oficiais, os persas, os homens de Ereque, da Babilônia e os elamitas de Susã,

10. e as demais nações que o grande e famoso Assurbanípal deportou e assentou na cidade de Samaria e a oeste do Eufrates escreveram assim:

11. Esta é a cópia da carta que mandaram ao rei Artaxerxes: Teus servos, os homens a oeste do Eufrates, assim escrevem:

12. Saiba o rei que os judeus que vieram a nós da tua parte foram a Jerusalém e estão reconstruindo aquela cidade rebelde e má. Estão restaurando os seus muros e fazendo reparos nos seus alicerces.

13. Agora saiba o rei que, se aquela cidade for reconstruída e os muros forem restaurados, eles não pagarão nem tributo, nem imposto, nem taxas; e assim as receitas do rei serão prejudicadas.

14. Agora, visto que somos fiéis ao palácio e não nos convém ver a desonra do rei, estamos enviando este aviso ao rei,

15. a fim de que se faça uma busca no livro das crônicas de teus antecessores. E descobrirás no livro das crônicas que essa cidade é uma cidade rebelde e desde os tempos antigos é dada a rebeliões. Por isso mesmo, ela foi destruída.

16. Assim, estamos avisando ao rei que, se essa cidade for reconstruída e os seus muros forem restaurados, não terás propriedade alguma a oeste do Eufrates.

17. Então o rei enviou ao comandante Reum, ao secretário Sinsai e aos outros companheiros que moravam em Samaria e no restante do país a oeste do Eufrates a seguinte resposta: Paz.

18. A carta que nos enviastes foi traduzida e lida na minha presença.

19. Ordenei que se fizesse uma busca e descobriu-se que, desde tempos antigos, essa cidade tem-se levantado contra os reis e que ela tem sido lugar de rebeliões e revoltas.

20. Jerusalém teve reis poderosos que dominaram todo o território a oeste do Eufrates, e a eles se pagavam tributos, impostos e taxas.

21. Ordenai a esses homens que parem a obra, e que essa cidade não seja reconstruída enquanto eu não ordenar.

22. Cuidado para não serdes negligentes nisso. Que não haja prejuízos nos interesses do rei.

23. Então, logo que a cópia da carta do rei Artaxerxes foi lida perante Reum e Sinsai, o secretário, e seus companheiros, eles foram depressa a Jerusalém e forçaram os judeus de forma violenta a suspender o trabalho.

24. Assim a obra do templo de Deus foi suspensa e ficou interrompida até o segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia.