Neemias 5

1. Surgiu, então, uma grande queixa do povo, dos homens e de suas mulheres contra os seus irmãos judeus.

2. Pois havia alguns que diziam: Nós, nossos filhos e nossas filhas somos muitos. Precisamos de trigo para comer.

3. Havia também os que diziam: Penhoramos os nossos campos, as nossas vinhas e as nossas casas para conseguir trigo para comer.

4. Havia ainda outros que diziam: Tomamos dinheiro emprestado até para pagar o imposto do rei sobre as nossas terras e as nossas vinhas.

5. Nós e nossos compatriotas temos o mesmo sangue, e nossos filhos são como os filhos deles, e mesmo assim estamos sujeitando nossos filhos e nossas filhas à escravidão. E, de fato, algumas de nossas filhas já foram entregues à escravidão. Não podemos evitá-lo, pois nossas terras e vinhas pertencem a outros.

6. Ao ouvir essas reclamações e acusações, fiquei furioso.

7. Analisei tudo e depois adverti os nobres e oficiais. Disse-lhes: Estais cobrando juros dos vossos compatriotas. Por isso, convoquei uma grande assembleia contra eles.

8. E disse-lhes: Nós, segundo as nossas posses, compramos de volta os nossos irmãos judeus que tinham sido vendidos aos outros povos. E agora vendestes os vossos irmãos? Assim, eles teriam de ser vendidos a nós novamente? Eles, então, se calaram e não tiveram resposta.

9. E eu prossegui: Não é bom o que fazeis! Acaso não devíeis andar no temor do nosso Deus, para evitar a zombaria dos outros povos, os nossos inimigos?

10. Também eu, meus irmãos e meus ajudantes lhes emprestamos dinheiro e trigo. Mas vamos deixar de cobrar juros.

11. Devolvei-lhes hoje os seus campos, as suas vinhas, os seus olivais e as suas casas, como também a centésima parte do dinheiro, do trigo, do vinho e do azeite que deles tendes exigido.

12. Eles disseram: Devolveremos tudo que pediste e não exigiremos nada deles. Faremos o que nos pediste. Chamei então os sacerdotes e os fiz declarar sob juramento que fariam conforme prometeram.

13. Sacudi a dobra do meu manto e disse: Assim Deus sacuda da casa e das posses todo homem que não cumprir esta promessa. Seja tal homem assim sacudido e esvaziado! E toda a assembleia disse: Amém! E louvou o SENHOR. E o povo cumpriu o que tinha prometido.

14. Além disso, desde o dia em que fui nomeado governador na terra de Judá, desde o vigésimo ano até o trigésimo segundo ano do rei Artaxerxes, isto é, por doze anos, nem eu nem meus irmãos comemos a comida separada para o governador.

15. Mas os governadores anteriores oprimiram o povo, tirando-lhe a comida e o vinho, além de quarenta siclos de prata. E até os seus auxiliares dominavam o povo. Mas, por temor a Deus, eu não agi assim.

16. Ao contrário, eu prossegui na construção deste muro, e não compramos nenhum pedaço de terra. Todos os meus auxiliares se ajuntaram ali para o trabalho.

17. Além disso, cento e cinquenta homens dos judeus e os seus oficiais sentavam à minha mesa para comer, além dos visitantes de outras nações ao redor de nós.

18. Todos os dias um boi e seis das melhores ovelhas e aves eram preparados à minha custa, e de dez em dez dias, eu recebia uma provisão especial de toda qualidade de vinho. Mas, nem por isso exigi a comida separada para o governador, pois as exigências que pesavam sobre o povo eram demasiadas.

19. Lembra-te de mim para o meu bem, ó meu Deus, e de tudo quanto tenho feito a favor deste povo.