Ester 8

1. Naquele mesmo dia, o rei Xerxes deu à rainha Ester os bens de Hamã, o inimigo dos judeus. E Mardoqueu apresentou-se diante do rei, pois Ester tinha revelado quem ele era.

2. O rei tirou o anel de selar que havia tomado de Hamã e o deu a Mardoqueu. E Ester encarregou Mardoqueu dos bens de Hamã.

3. Mas Ester voltou a implorar ao rei e, lançando-se aos pés dele, suplicou-lhe com lágrimas que revogasse o plano perverso que Hamã, o descendente de Agague, tinha maquinado contra os judeus.

4. Então o rei estendeu para Ester o cetro de ouro, e ela se levantou diante dele

5. e disse: Se for do agrado do rei, e se eu alcancei o seu favor, e se ele considerar justo, e se eu lhe agrado, que se revoguem por escrito as cartas que Hamã, filho de Hamedata, descendente de Agague, escreveu para exterminar os judeus em todas as províncias do rei.

6. Pois como poderei suportar a calamidade que sobrevirá ao meu povo? Como suportarei a destruição da minha família?

7. Então o rei Xerxes respondeu à rainha Ester e ao judeu Mardoqueu: Entreguei os bens de Hamã a Ester e mandei enforcá-lo porque ergueu a mão contra os judeus.

8. Escrevei outro decreto a favor dos judeus, em nome do rei, como melhor vos parecer, e selai-o com o anel do rei, pois um documento escrito em nome do rei e selado com o anel do rei não pode ser revogado.

9. Isso ocorreu no vigésimo terceiro dia do terceiro mês, o mês de sivã. Os secretários foram chamados e escreveram tudo o que Mardoqueu tinha ordenado acerca dos judeus, aos sátrapas, aos governadores e aos príncipes das cento e vinte e sete províncias que se estendem da Índia até a Etiópia. Essas ordens foram redigidas na escrita de cada província e na língua de cada povo, como também aos judeus, na sua escrita e na sua língua.

10. Mardoqueu escreveu as cartas em nome do rei Xerxes, selou-as com o anel do rei e as enviou com os mensageiros montados em cavalos velozes, da cavalaria real.

11. Nessas cartas, o rei permitia aos judeus de cada cidade que se reunissem e se dispusessem para defender sua vida e para eliminar, matar e exterminar todas as forças armadas do povo e da província que os quisessem atacar, juntamente com suas mulheres e crianças, e que saqueassem os seus bens.

12. O dia marcado para todas as províncias do rei Xerxes foi o décimo terceiro dia do décimo segundo mês, o mês de adar.

13. Uma cópia da carta que seria divulgada como decreto em todas as províncias foi publicada entre todos os povos, para que os judeus estivessem preparados para aquele dia, a fim de se vingarem dos seus inimigos.

14. Os mensageiros montados nos cavalos velozes da cavalaria real partiram apressadamente por causa da ordem do rei. O decreto foi proclamado também na cidadela de Susã.

15. Então Mardoqueu saiu da presença do rei, vestido de um traje real azul celeste e branco, trazendo uma grande coroa de ouro e um manto de linho fino e de púrpura. E a cidadela de Susã exultava de alegria.

16. E houve felicidade, alegria, júbilo e honra para os judeus.

17. Havia alegria e júbilo, com banquetes e festas, em cada província e em cada cidade e em todo lugar onde chegavam a ordem e o decreto do rei. E muitos dentre os outros povos se tornaram judeus, pois o temor dos judeus tinha-se apossado deles.