Jó 16

1. Então Jó respondeu:

2. Já ouvi muitas coisas como essas; todos vós sois consoladores lastimáveis.

3. Não terão fim essas palavras vazias? O que é que vos provoca, para assim responderdes?

4. Eu também poderia falar assim, se estivésseis em meu lugar; contra vós eu poderia amontoar palavras, e menear a cabeça;

5. poderia dar-vos força só com a boca, e poderia aliviar a vossa dor com a consolação dos meus lábios.

6. Ainda que eu fale, a minha dor não cessa; e se me calar, qual será o meu alívio?

7. Mas agora, ó Deus, tu me deixaste exausto; destruíste a minha família inteira.

8. Tu me fizeste definhar, o que é uma testemunha contra mim; a minha magreza se levanta contra mim, e também contra mim depõe o meu rosto.

9. Na sua ira, ele me despedaçou e me perseguiu; rangeu os dentes para mim. O meu adversário aguça os olhos contra mim.

10. Os homens abrem a boca contra mim; ferem-me no rosto com desprezo e contra mim se unem.

11. Deus me entrega ao ímpio e me faz cair nas mãos dos perversos.

12. Eu estava tranquilo, mas ele me quebrou; agarrou-me pelo pescoço e me despedaçou; colocou-me como alvo;

13. e os seus flecheiros me cercam. Atravessa meus rins e não me poupa; derrama no chão a minha bílis.

14. Fere-me com um golpe atrás do outro; ataca-me como um guerreiro.

15. Costurei um pano de saco sobre a minha pele e lancei a minha honra no pó.

16. O meu rosto está vermelho de tanto chorar, e há sombras escuras sobre as minhas pálpebras,

17. apesar de não haver violência nas minhas mãos e de ser pura a minha oração.

18. Ó terra, não encubras o meu sangue, e não haja lugar em que o meu clamor seja abafado!

19. Agora mesmo, lá no céu, está a minha testemunha, e lá nas alturas está o meu fiador.

20. Os meus amigos zombam de mim, mas os meus olhos se desfazem em lágrimas diante de Deus,

21. para que ele defenda o direito do homem diante de Deus como se faz em favor do seu próximo.

22. Pois, passados poucos anos, seguirei o caminho de onde não voltarei.