Jó 27

1. Prosseguindo Jó em seu discurso, disse:

2. Tão certo como vive Deus, que me tirou o direito, e o Todo-poderoso, que me amargurou a alma;

3. enquanto eu tiver alento, e o sopro de Deus estiver nas minhas narinas,

4. os meus lábios não falarão maldade, nem a minha língua pronunciará engano.

5. Longe de mim eu vos dar razão; até que eu morra, nunca me afastarei da minha integridade.

6. Eu me apegarei à minha justiça e não a largarei; o meu coração não reprova nenhum dia da minha vida.

7. Seja o meu inimigo como o ímpio, e como o perverso o meu opositor.

8. Pois qual será a esperança do ímpio, quando Deus o cortar, quando Deus lhe tirar a alma?

9. Por acaso Deus ouvirá o seu clamor, quando chegar a tribulação?

10. Ele se deleitará no Todo-poderoso, ou invocará a Deus em todo o tempo?

11. Eu vos ensinarei acerca do poder de Deus; não vos encobrirei o que está com o Todo-poderoso.

12. Todos vós já vistes isso; por que vos entregais completamente às palavras inúteis?

13. Esta é a porção que Deus dá ao ímpio, a herança que os opressores recebem do Todo-poderoso:

14. Se os seus filhos se multiplicarem, será isso para a espada; e a sua prole não se fartará de alimento.

15. Os seus descendentes que sobreviverem morrerão pela peste, e as suas viúvas não chorarão.

16. Embora amontoe prata como pó, e acumule roupas como barro,

17. o justo vestirá as que ele acumular, e o inocente repartirá a prata.

18. A casa que ele constrói é como a teia da aranha, como a cabana que o guarda faz.

19. Rico se deita, mas logo não o será mais; abre os olhos, e sua riqueza já se foi.

20. Pavores o alcançam como um dilúvio; a tempestade o arrebata de noite.

21. O vento oriental o leva, e ele se vai; sim, varre-o com ímpeto do seu lugar.

22. Pois atira contra ele sem poupá-lo, e ele, de forma precipitada, foge do seu poder.

23. Bate palmas contra ele, e do seu lugar assobia contra ele.