Jó 36

1. Eliú ainda prosseguiu e disse:

2. Espera-me um pouco, e eu te mostrarei que ainda há razões em favor de Deus.

3. De longe trarei o meu conhecimento, e ao meu Criador atribuirei a justiça.

4. Pois, na verdade, as minhas palavras não serão falsas; contigo está aquele que tem conhecimento perfeito.

5. Deus é muito poderoso, mas não despreza ninguém; ele é poderoso e firme em seu propósito.

6. Não preserva a vida do ímpio, mas faz justiça aos aflitos.

7. Não afasta seus olhos dos justos; pelo contrário, faz com que se sentem para sempre com os reis no trono, e assim são exaltados.

8. Se estão presos a grilhões e amarrados com cordas de aflição,

9. então ele lhes mostra suas obras e suas transgressões, pois agem com arrogância.

10. Abre-lhes o ouvido para a instrução e ordena que se convertam do mal.

11. Se o ouvirem e o servirem, acabarão seus dias em prosperidade e os seus anos em prazer.

12. Mas, se não o ouvirem, serão feridos pela espada e morrerão sem conhecimento.

13. Assim os ímpios de coração acumulam a sua ira; e quando Deus os prende às cadeias, não gritam por socorro.

14. Eles morrem jovens, e a sua vida termina entre os prostitutos cultuais.

15. Livra ao aflito por meio da sua aflição, e abre-lhe os ouvidos pela opressão.

16. Assim também ele quer te levar do meio da angústia para um lugar amplo e livre, para a fartura da tua mesa, cheia de gordura.

17. Mas estás cheio do juízo do ímpio; o juízo e a justiça tomam conta de ti.

18. Cuida para que a ira não te leve a zombar, nem o tamanho do suborno te desvie.

19. Prevalecerá o teu clamor, ou todas as forças da tua fortaleza, para que estejas livre?

20. Não anseies pela noite, quando os povos são tirados da sua habitação.

21. Guarda-te e não te inclines para o mal; porque escolheste isso em vez da aflição.

22. Deus é excelso em seu poder; quem ensina como ele?

23. Quem lhe estipulou o seu caminho? Ou quem poderá dizer: Praticaste injustiça?

24. Lembra-te de engrandecer a sua obra, da qual os homens têm cantado.

25. Todos a veem; de longe o homem a contempla.

26. Deus é grande, e não podemos compreendê-lo; ninguém consegue contar os seus anos.

27. Pois atrai para si as gotas de água, e do seu vapor as destila em chuva,

28. que as nuvens gotejam e derramam copiosamente sobre o homem.

29. Poderá alguém entender a extensão das nuvens e os trovões do seu pavilhão?

30. Estende a sua luz ao redor de si e cobre o fundo do mar.

31. Pois por essas coisas julga os povos e lhes dá mantimento à vontade.

32. Cobre as mãos com o relâmpago, e dá-lhe ordem para que atinja o alvo.

33. O fragor da tempestade dá notícia dele; até o gado pressente a sua aproximação.