Salmos 109

1. Ó Deus, a quem tributo louvor, não te cales;

2. pois a boca do ímpio e a boca traiçoeira se abrem e falam mentira contra mim.

3. Eles me cercam com palavras de ódio e me atacam sem motivo.

4. Retribuem minha amizade com acusações; mas eu me dedico à oração.

5. Retribuem-me o bem com o mal, a amizade, com o ódio.

6. Coloca contra ele um ímpio; um acusador esteja à sua direita.

7. Quando ele for julgado, seja condenado e até sua oração seja tida como pecado!

8. Que os seus dias sejam breves, e outro tome seu lugar!

9. Que seus filhos fiquem órfãos, e viúva, a sua mulher.

10. Que seus filhos fiquem vagando, mendiguem e peçam esmolas, longe de suas habitações assoladas.

11. Que o credor lance mão de tudo o que ele possui; que estranhos se apropriem do fruto do seu trabalho!

12. Ninguém tenha compaixão dele, nem tenha pena dos seus órfãos!

13. Que sua descendência seja extirpada, e seu nome, eliminado da geração seguinte!

14. Que a maldade de seus pais fique na lembrança do SENHOR; e não se apague o pecado de sua mãe!

15. Pelo contrário, estejam sempre perante o SENHOR, para que faça a memória deles desaparecer da terra!

16. Pois não se lembrou de agir com bondade; pelo contrário, perseguiu até à morte o aflito e o necessitado, e também o quebrantado de coração.

17. Já que amou a maldição, que ela então lhe sobrevenha! Já que não desejou a bênção, que ela se afaste dele!

18. Assim, já que se vestiu de maldição como se fosse uma roupa, que ela penetre em suas entranhas como água, e em seus ossos como azeite!

19. Seja para ele como a roupa que o cobre e como o cinto que usa!

20. Que o SENHOR assim retribua aos meus acusadores e aos que me caluniam!

21. Mas tu, SENHOR, meu Deus, age em meu favor, por amor do teu nome. Livra-me, pois o teu amor é grande.

22. Sou pobre e necessitado, e meu coração está abatido.

23. Eu passo como a sombra que declina; sou arrebatado como o gafanhoto.

24. Meus joelhos estão enfraquecidos pelo jejum, e meu corpo emagrece.

25. Sou alvo de zombaria para eles; quando me veem, balançam a cabeça.

26. Ajuda-me, SENHOR, meu Deus; salva-me, pelo teu amor.

27. Para que saibam que isso vem da tua mão, e que tu o fizeste, SENHOR.

28. Mesmo que eles me amaldiçoem, tu me abençoas; quando se levantarem contra mim, ficarão frustrados, e o teu servo ficará feliz!

29. Sejam meus acusadores cobertos de vexame, e cubram-se de sua própria vergonha como de um manto!

30. Com minha boca renderei muitas graças ao SENHOR; eu o louvarei no meio da multidão,

31. pois ele se coloca ao lado do pobre, para salvá-lo dos que o condenam.