Salmos 17

1. SENHOR, ouve a causa justa; atende o meu clamor; dá ouvidos à minha oração, que não procede de lábios enganosos.

2. Que a minha sentença venha de ti; que os teus olhos atentem para a retidão.

3. Provas meu coração e me visitas de noite; tu me examinas e nada encontras, pois estou decidido a não transgredir com minha boca.

4. Quanto às ações dos homens, pela palavra dos teus lábios, tenho evitado seguir o homem violento.

5. Meus passos apegaram-se aos teus caminhos, meus pés não tropeçaram.

6. Clamo a ti, ó Deus, porque tu me ouves; inclina teus ouvidos para mim e ouve minhas palavras.

7. Mostra a maravilha da tua bondade, tu, que salvas os que se refugiam à tua destra dos que se levantam contra eles.

8. Guarda-me como a menina dos teus olhos; esconde-me à sombra das tuas asas,

9. dos ímpios que me despojam, dos meus inimigos mortais que me cercam.

10. Eles endurecem o coração; sua boca fala com soberba.

11. Agora andam rodeando meus passos; fixam seus olhos em mim para me derrubar no chão.

12. Eles se parecem com o leão, que deseja arrebatar a presa, e com o leão novo, que espreita dos esconderijos.

13. SENHOR, levanta-te, confronta-os e derruba-os; pela tua espada, livra-me dos ímpios.

14. SENHOR, com tua mão, livra-me dos homens, dos homens mundanos, cuja recompensa está nesta vida. Enche-lhes o ventre do que está reservado para eles. Que seus filhos se fartem disso e deixem as sobras para seus pequeninos.

15. Eu, porém, pela minha retidão contemplarei a tua face; eu me satisfarei com a tua semelhança quando eu despertar.