Salmos 58

1. Ó poderosos, por acaso falais com justiça? Ó filhos dos homens, julgais com retidão?

2. Não, pelo contrário, tramais maldades no coração; fazeis pesar a violência das vossas mãos sobre a terra.

3. Os ímpios se desviam desde o ventre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras.

4. Têm veneno semelhante ao veneno da serpente; são como a víbora surda, que tapa seus ouvidos,

5. de modo que não ouve a voz dos encantadores, nem mesmo do encantador perito em encantamento.

6. Ó Deus, quebra-lhes os dentes da boca; SENHOR, arranca os caninos dos leões.

7. Sumam-se eles, como águas que se escoam; sejam pisados e murchem como a relva macia.

8. Sejam como a lesma que se derrete e se vai; como a criança abortada, que nunca viu o sol.

9. Que ele arranque os espinheiros antes que cheguem a aquecer vossas panelas, tanto os verdes como os secos.

10. O justo se alegrará quando vir a vingança; lavará os pés no sangue do ímpio.

11. Então os homens dirão: Certamente há uma recompensa para o justo; certamente há um Deus que julga na terra.