Provérbios 13

1. O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o zombador não escuta a repreensão.

2. Do fruto da boca o homem come o bem, mas o apetite dos infiéis alimenta-se da violência.

3. O que controla a sua boca preserva a vida, mas quem fala demais traz sobre si a ruína.

4. O preguiçoso deseja e não consegue nada, mas o desejo do diligente será satisfeito.

5. O justo odeia a palavra mentirosa, mas o ímpio é odiado e se cobre de vergonha.

6. A justiça guarda quem é correto em seu caminho, mas a perversidade transtorna o pecador.

7. Há quem se torne rico sem nada possuir, e quem se torne pobre, tendo grande riqueza.

8. O resgate pela vida do homem são as suas riquezas, mas o pobre não tem meios para se resgatar.

9. A luz dos justos traz alegria, mas a lâmpada dos ímpios se apagará.

10. A arrogância só produz conflito, mas a sabedoria está com os que se aconselham.

11. A riqueza adquirida às pressas se perderá, mas quem a ajunta aos poucos fará com que ela aumente.

12. A esperança adiada entristece o coração, mas o desejo cumprido é árvore de vida.

13. Quem despreza a palavra traz sobre si a destruição, mas quem teme o mandamento será recompensado.

14. O ensino do sábio é uma fonte de vida que o protege dos laços da morte.

15. O bom senso alcança favor, mas o caminho dos infiéis é áspero.

16. O homem prudente age com conhecimento em tudo, mas o tolo expõe sua insensatez.

17. O mensageiro perverso faz cair no mal, mas o embaixador fiel traz saúde.

18. Pobreza e afronta virão ao que rejeita a correção, mas o que atenta para a repreensão será honrado.

19. O desejo cumprido agrada a alma, mas o tolo odeia afastar-se do mal.

20. Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos tolos sofrerá aflição.

21. O mal persegue os pecadores, mas os justos são recompensados com o bem.

22. O homem de bem deixa uma herança para os filhos de seus filhos; mas a riqueza do pecador reserva-se para o justo.

23. Na lavoura do pobre, há muito mantimento, mas tudo se perde por falta de juízo.

24. Odeia seu filho quem o poupa da vara, mas quem o ama o castiga no tempo certo.

25. O justo come e fica satisfeito, mas o apetite dos ímpios jamais se satisfaz.