Provérbios 24

1. Não tenhas inveja dos homens maus, nem desejes sua companhia;

2. porque o coração deles pensa em violência e os seus lábios falam com maldade.

3. Com sabedoria se edifica a casa, e com entendimento ela permanece firme;

4. pelo conhecimento suas salas se encherão de todas as riquezas preciosas e agradáveis.

5. O sábio é mais poderoso que o forte; e o inteligente, mais do que aquele que tem força.

6. Porque podes fazer a guerra com conselhos prudentes; e a vitória está na multidão de conselheiros.

7. A sabedoria é elevada demais para o insensato; ele não abre sua boca no tribunal.

8. Quem sempre pensa em fazer o mal será conhecido como causador de intrigas.

9. Os propósitos do insensato são pecado, e quem zomba é detestado pelos homens.

10. Se te desanimares em tempos de dificuldades, serás fraco.

11. Livra os que estão sendo levados à morte, detém os que vão tropeçando para a matança.

12. Se disseres: Não sabemos de nada. Por acaso aquele que sonda os corações não percebe? E aquele que guarda a tua vida não sabe? Não retribuirá a cada um conforme seus atos?

13. Meu filho, come mel, porque é bom, e do favo de mel, porque é doce ao paladar.

14. Sabe que assim é a sabedoria para ti; se a achares, terás recompensa, e tua esperança não será frustrada.

15. Ó ímpio, não armes emboscada contra a habitação do justo; nem destruas a sua moradia.

16. Porque o justo cai sete vezes e se levanta, mas os ímpios são abatidos pela calamidade.

17. Quando teu inimigo cair, não te alegres; quando tropeçar, não se alegre o teu coração;

18. para que o SENHOR não veja e se desagrade disso, desviando dele a sua ira.

19. Não te perturbes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos ímpios;

20. porque o homem mau não tem futuro, e a lâmpada dos ímpios se apagará.

21. Meu filho, teme o SENHOR e o rei, e não te associes com os rebeldes.

22. Porque os rebeldes serão destruídos sem aviso, e quem pode imaginar a ruína que virá daqueles dois?

23. Estes também são provérbios dos sábios: Julgar fazendo discriminação de pessoas não é bom.

24. Aquele que disser ao ímpio: Tu és inocente, será amaldiçoado pelos povos e detestado pelas nações;

25. mas, para os que julgam corretamente, haverá satisfação, e sobre eles virão ricas bênçãos.

26. O que responde com palavras corretas é como quem beija os lábios.

27. Cuida dos teus negócios lá fora, prepara bem tua lavoura e depois forma tua família.

28. Não sejas testemunha sem causa contra teu próximo nem o enganes com teus lábios.

29. Não digas: Farei contra ele como fez a mim; pagarei a cada um de acordo com seus atos.

30. Passei junto ao campo do preguiçoso e junto à vinha do homem sem entendimento;

31. e estava todo cheio de espinhos; sua superfície estava tomada pelas urtigas, e o seu muro de pedra estava derrubado.

32. Observando aquilo, refleti, e olhando, obtive instrução.

33. Um pouco para dormir, um pouco para cochilar, um pouco para cruzar os braços em repouso;

34. assim chegará tua pobreza como um assaltante, e tua miséria, como um homem armado.