Provérbios 25

1. Estes também são provérbios de Salomão. Foram copiados pelos servos de Ezequias, rei de Judá.

2. A glória de Deus é encobrir as coisas; mas a glória dos reis é examiná-las.

3. O coração dos reis é como a altura do céu e como a profundidade da terra: inescrutável.

4. Tira a escória da prata, e sairá um vaso para o fundidor.

5. Tira o ímpio da presença do rei, e o trono real se estabelecerá em justiça.

6. Não reivindique honra para ti na presença do rei, nem te ponhas no lugar dos nobres;

7. porque é melhor que te digam: Sobe até aqui, do que seres humilhado perante o príncipe.

8. Não vás apressadamente ao tribunal; caso contrário, o que farás mais tarde, quando teu próximo te colocar em apuros?

9. Defende tua causa diretamente com teu próximo e não reveles o segredo de outro;

10. pois quem o ouvir te desprezará, e tua infâmia permanecerá.

11. Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita na hora certa.

12. Como pendentes de ouro e gargantilhas de ouro puro, assim é a sábia repreensão para o ouvido obediente.

13. Como o frescor da neve no tempo da colheita, assim é o mensageiro fiel para aqueles que o enviam, pois ele renova o ânimo dos seus senhores.

14. Como nuvens e ventos que não trazem chuva, assim é o homem que se gaba de presentes que não deu.

15. Com muita paciência se convence o príncipe, e o falar agradável pode quebrar os ossos.

16. Se achaste mel, come somente o que te basta, para que não venhas a te encher dele e o vomites.

17. Não sejas frequente na casa do teu próximo, senão ele se cansará de ti e te detestará.

18. Malho, espada e flecha afiada é o homem que levanta falso testemunho contra o próximo.

19. Como dente quebrado e pé deslocado, assim é confiar no homem desleal no dia da angústia.

20. O que entoa canções ao coração aflito é como quem tira a roupa em dia de frio, como vinagre sobre a ferida.

21. Se teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer, e, se tiver sede, dá-lhe de beber;

22. pois, fazendo assim, amontoarás brasas sobre a cabeça dele, e o SENHOR te recompensará.

23. O vento norte traz a chuva, mas a língua caluniadora, o rosto irado.

24. É melhor morar num canto do eirado do que dentro de casa com uma mulher briguenta.

25. Como água fresca para quem tem sede, assim são as boas notícias da terra distante.

26. Como fonte turva e manancial poluído, assim é o justo que dá lugar ao ímpio.

27. Comer muito mel não é bom, assim como não é digno buscar a própria honra.

28. Como uma cidade destruída e sem muros, assim é o homem que não pode conter-se.