Isaías 29

1. Ariel, ai de Ariel, cidade onde Davi acampou! Acrescentai ano a ano, completem o ciclo das festas.

2. Então porei Ariel em apuros, e haverá pranto e lamentação; ela será para mim uma verdadeira fornalha.

3. Acamparei ao teu redor, eu te sitiarei com baluartes e farei um cerco contra ti.

4. Então serás abatida, falarás de debaixo da terra, e a tua voz sairá fraca do chão; a tua voz debaixo da terra será como a de um espírito, como um assobio desde o pó.

5. Os teus inúmeros inimigos serão como o pó, e a multidão dos cruéis, como a palha que voa; isso acontecerá de repente, num momento.

6. Ela será visitada pelo SENHOR dos Exércitos com trovões, terremotos e grande ruído; com tufão, tempestade e labareda de fogo devorador.

7. A multidão de todas as nações que lutarão contra Ariel será como o sonho, uma visão da noite; sim, a multidão de todos os que lutarem contra ela e contra a sua fortaleza, e a puserem em aperto.

8. Será também como o faminto que sonha que está comendo, mas, ao acordar, percebe estar vazio; ou como o sedento que sonha que está bebendo, mas, ao acordar, encontra-se enfraquecido e ainda com sede; assim será a multidão de todas as nações que lutarem contra o monte Sião.

9. Pasmai e maravilhai-vos; cegai-vos e ficai cegos; estão bêbados, mas não por causa de vinho; andam cambaleando, mas não por causa de bebida forte.

10. Porque o SENHOR derramou sobre vós um espírito de sono profundo e fechou os vossos olhos, que são os profetas; e cobriu a vossa cabeça, que são os videntes.

11. Para vós, toda visão se tornou como as palavras de um livro selado que se dá ao que sabe ler, dizendo: Lê isto; e ele responde: Não posso, porque está selado.

12. Ou, dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo: Lê isto; e ele responde: Não sei ler.

13. Por isso o Senhor disse: Este povo se aproxima de mim e me honra com os lábios e com a boca, mas o coração deles está longe de mim; o seu temor para comigo consiste em mandamentos de homens, aprendidos de forma mecânica.

14. Portanto, continuarei a fazer uma obra maravilhosa com este povo, uma obra mais que maravilhosa; a sabedoria dos seus sábios cessará, e a perícia dos seus peritos se esconderá.

15. Ai dos que escondem profundamente o seu propósito do SENHOR, realizam suas obras às escuras e dizem: Quem nos vê? Quem sabe?

16. Como sois perversos! Por acaso o oleiro é como o barro para que a obra diga acerca do artífice: Ele não me fez; e o vaso formado diga de quem o formou: Ele não tem entendimento?

17. Não é verdade que dentro de muito pouco tempo o Líbano será transformado em campo fértil, e o campo fértil será considerado um bosque?

18. Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro, e os olhos dos cegos verão no meio da escuridão e das trevas.

19. Os humildes terão alegria cada vez maior no SENHOR, e os pobres dentre os homens se alegrarão no Santo de Israel.

20. Porque o opressor é reduzido a nada, e o zombador já não existe, e todos os que se entregam ao mal serão eliminados;

21. os que condenam alguém por uma palavra, os que põem armadilha ao defensor no tribunal e os que negam o direito do justo sem motivo.

22. Portanto, o SENHOR, que redimiu Abraão, diz à linhagem de Jacó: Jacó não será humilhado agora, e seu rosto não ficará pálido.

23. Mas, quando seus filhos virem a obra das minhas mãos no meio deles, santificarão o meu nome; sim, santificarão o Santo de Jacó e temerão o Deus de Israel.

24. Os de espírito errante terão conhecimento, e os que murmuram serão instruídos.