Isaías 40

1. Consolai o meu povo, consolai, diz o vosso Deus.

2. Confortai o coração de Jerusalém e proclamai-lhe que já se cumpriu o tempo da sua luta, que o seu pecado foi perdoado e já recebeu em dobro da mão do SENHOR, por todos os seus pecados.

3. Voz do que clama: Preparai o caminho do SENHOR no deserto; endireitai ali uma estrada para o nosso Deus.

4. Todo vale será elevado, todo monte e toda colina serão rebaixados; o terreno acidentado será nivelado, e o que é íngreme será aplanado.

5. A glória do SENHOR se revelará; e todos juntos a verão, pois foi o SENHOR quem falou.

6. Uma voz diz: Clama. Eu digo: O que clamarei? Toda pessoa é como a relva, e toda a sua glória, como a flor do campo.

7. Seca a relva e cai a sua flor, quando o vento do SENHOR sopra sobre elas. Na verdade, o povo é relva.

8. Seca-se a relva e cai a sua flor; mas a palavra de nosso Deus permanece para sempre.

9. Ó mensageiro de boas novas a Sião, sobe a um monte alto. Ó mensageiro de boas novas a Jerusalém, levanta bem alto a voz; levanta-a, não temas, e dize às cidades de Judá: Aqui está o vosso Deus.

10. O SENHOR Deus virá com poder; dominará com o seu braço; o seu galardão está com ele, e a sua recompensa o acompanha.

11. Ele cuidará do seu rebanho como um pastor; recolherá nos braços os cordeirinhos e os levará no colo; guiará mansamente as que amamentam.

12. Quem mediu as águas com a concha da mão? Quem mediu a extensão dos céus com o palmo? Quem recolheu o pó da terra numa medida e pesou os montes com pesos e as colinas em balanças?

13. Quem guiou o Espírito do SENHOR, ou lhe ensinou como conselheiro?

14. A quem ele pediu conselho, para lhe dar entendimento e lhe mostrar o caminho da justiça? Quem lhe ensinou conhecimento e lhe mostrou o caminho do entendimento?

15. Para ele as nações são como a gota de um balde, como o pó das balanças; ele considera as ilhas como um grãozinho.

16. Nem todas as árvores do Líbano bastariam para queimar, nem os seus animais bastariam para um holocausto.

17. Todas as nações são insignificantes diante dele; ele as considera menos do que nada, algo inútil.

18. Quem podeis comparar a Deus? A que figura ele se assemelha?

19. A um ídolo que o artesão funde e que o ourives cobre de ouro, forjando-lhe também correntes de prata?

20. Ao ídolo do pobre? Ele não pode oferecer tanto, mas escolhe madeira que não apodrece e procura um artesão talentoso, para esculpir uma imagem que não se moverá.

21. Por acaso não sabeis? Não ouvistes? Não vos foi dito isso desde o princípio? Não entendestes desde a fundação da terra?

22. Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; ele é o que estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para nela habitar.

23. Ele é o que reduz os príncipes a nada e torna inúteis os juízes da terra.

24. Mal são plantados e semeados, e mal firmam raízes na terra, ele sopra sobre eles, então secam e a tempestade os leva como se fossem palha.

25. Diz o Santo: Com quem me comparareis? Com quem eu me assemelho?

26. Levantai os olhos para o alto e vede: Quem criou estas coisas? Foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele chama a todas pelo nome. Por ser ele grande em força e forte em poder, nenhuma delas faltará.

27. Por que dizes, ó Jacó, e falas, ó Israel: O meu caminho está escondido do SENHOR, e o meu direito passa despercebido ao meu Deus?

28. Não sabes? Não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos confins da terra, não se cansa nem se fatiga? O seu entendimento é insondável.

29. Ele dá força ao cansado e fortalece o que não tem vigor.

30. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços cairão,

31. mas os que esperam no SENHOR renovarão suas forças; subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; andarão e não se fatigarão.