Jeremias 23

1. Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR.

2. Portanto, assim diz o SENHOR, o Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas e as afugentastes, e não cuidastes delas. Eu vos castigarei pelo mal que cometestes, diz o SENHOR.

3. Eu mesmo reunirei o remanescente das minhas ovelhas de todas as terras para onde as tiver expulsado e as levarei de volta à sua pastagem; então elas se tornarão férteis e se multiplicarão.

4. Porei sobre elas pastores que as conduzam. Elas nunca mais temerão, nem ficarão apavoradas, e nenhuma delas se perderá, diz o SENHOR.

5. E virão dias, diz o SENHOR, em que levantarei para Davi um Renovo justo, um rei que reinará e agirá com sabedoria, executando a justiça e o direito na terra.

6. Nos seus dias, Judá será salva, e Israel habitará seguro; e este é o nome com que será chamado: O SENHOR, NOSSA JUSTIÇA.

7. Portanto, diz o SENHOR, virão dias em que não mais se dirá: Juro pelo SENHOR, que tirou os israelitas da terra do Egito;

8. mas: Juro pelo SENHOR, que tirou e trouxe os descendentes da casa de Israel da terra do norte, e de todas as terras para onde os havia expulsado para habitarem em sua terra.

9. Quanto aos profetas, no meu íntimo, meu coração está quebrantado; todos os meus ossos estremecem; sou como um homem embriagado, como um homem dominado pelo vinho, por causa do SENHOR e das suas santas palavras.

10. Pois a terra está cheia de adúlteros; a terra chora por causa disso, e os pastos do deserto se secam. O seu procedimento é mau e o seu poder não é correto.

11. Porque tanto o profeta como o sacerdote são profanos; até na minha casa achei sua maldade, diz o SENHOR.

12. Portanto, o seu caminho lhes será como lugares escorregadios na escuridão; serão empurrados e nela cairão. Porque trarei sobre eles a calamidade no ano da sua punição, diz o SENHOR.

13. Vi uma coisa imoral entre os profetas de Samaria: eles profetizavam da parte de Baal e desviavam o meu povo Israel.

14. Mas vejo uma coisa horrível entre os profetas de Jerusalém: cometem adultérios, vivem falsamente e incentivam os malfeitores para que não se convertam de sua maldade; eles têm sido para mim como Sodoma, e os seus moradores, como Gomorra.

15. Portanto, assim diz o SENHOR dos Exércitos acerca dos profetas: Darei a eles comida amarga e lhes farei beber água envenenada; porque dos profetas de Jerusalém saiu a contaminação sobre toda a terra.

16. Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas, que vos profetizam, enchendo-vos de ilusões; falam da visão do próprio coração, não da boca do SENHOR.

17. Dizem continuamente aos que desprezam a palavra do SENHOR: Tereis paz. E dizem a todo aquele que anda na teimosia do seu coração: Nenhum mal virá sobre ti.

18. Pois quem dentre eles esteve no conselho do SENHOR, para que percebesse e ouvisse a sua palavra, ou quem esteve atento e escutou a sua palavra?

19. Aí está a tempestade do SENHOR! A sua fúria foi desencadeada; um tufão gira sobre a cabeça dos ímpios.

20. A ira do SENHOR não recuará até que ele tenha executado e cumprido os seus planos. Nos últimos dias entendereis isso claramente.

21. Eu não enviei esses profetas, contudo foram correndo; não lhes falei, todavia profetizaram.

22. Mas se tivessem comparecido ao meu conselho, então teriam feito o meu povo ouvir as minhas palavras e o teriam afastado do seu mau caminho e da maldade das suas ações.

23. Diz o SENHOR: Sou eu apenas Deus de perto? Não sou também Deus de longe?

24. Pode alguém esconder-se em esconderijos sem que eu o veja?, diz o SENHOR. Não sou eu o que enche os céus e a terra?, diz o SENHOR.

25. Tenho ouvido o que dizem esses profetas que profetizam mentiras em meu nome, dizendo: Sonhei, sonhei.

26. Até quando se achará isso no coração dos profetas que profetizam mentiras e o engano do próprio coração?

27. Com os sonhos que relatam uns aos outros, eles planejam fazer o meu povo se esquecer do meu nome, assim como seus pais se esqueceram do meu nome por causa de Baal.

28. O profeta que tem um sonho, conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale fielmente a minha palavra. Que tem a palha em comum com o trigo?, diz o SENHOR.

29. Não é a minha palavra como fogo, diz o SENHOR, e como martelo que esmaga a rocha?

30. Portanto, estou contra os profetas, diz o SENHOR, os quais furtam uns dos outros as minhas palavras, cada um ao seu próximo.

31. Estou contra os profetas, diz o SENHOR, que usam a própria língua e declaram um oráculo: Ele disse.

32. Estou contra os que profetizam sonhos falsos, diz o SENHOR, e os contam, e desviam o meu povo com as suas mentiras e com a sua irresponsabilidade. Eu, porém, não os enviei, nem lhes dei ordem; eles não trazem proveito algum a este povo, diz o SENHOR.

33. Quando este povo, um profeta ou um sacerdote te perguntar: Qual é a sentença pesada do SENHOR? Então lhes dirás: Vós sois o peso! E eu vos deixarei, diz o SENHOR.

34. E se o profeta, o sacerdote ou alguém do povo disser: Esta é a sentença pesada do SENHOR!, então castigarei aquele homem e a sua família.

35. Assim direis, cada um ao seu próximo e cada um ao seu irmão: Que respondeu o SENHOR? Que falou o SENHOR?

36. Mas nunca mais fareis menção da sentença pesada do SENHOR, porque a palavra que cada um proferir lhe servirá de sentença. Pois distorceis as palavras do Deus vivo, do SENHOR dos Exércitos, o nosso Deus.

37. Assim dirás ao profeta: Que te respondeu o SENHOR? Que falou o SENHOR?

38. Se, porém, disserdes: Esta é a sentença pesada do SENHOR; assim diz o SENHOR: Porque dizeis esta palavra: Esta é a sentença pesada do SENHOR, ao passo que mandei dizer-vos: Não direis: Esta é a sentença pesada do SENHOR;

39. certamente eu vos erguerei e vos lançarei fora da minha presença, vós e a cidade que dei a vós e a vossos pais.

40. Porei sobre vós uma humilhação perpétua e vergonha para sempre, que jamais será esquecida.