Jeremias 38

1. Então, Sefatias, filho de Matã, Gedalias, filho de Pasur, Jeucal, filho de Selemias, e Pasur, filho de Malquias, ouviram as palavras que Jeremias anunciava a todo o povo, dizendo:

2. Assim diz o SENHOR: Quem ficar nesta cidade morrerá pela espada, pela fome e pela peste; mas quem se render aos babilônios viverá; pois a sua vida lhe será entregue como despojo, e viverá.

3. Assim diz o SENHOR: Esta cidade certamente será entregue nas mãos do exército do rei da Babilônia, e ele a conquistará.

4. Então os chefes disseram ao rei: Este homem deve morrer, porque, ao dizer essas palavras, está desanimando os guerreiros que restam nesta cidade e todo o povo; porque este homem não busca a paz para este povo, mas sua desgraça.

5. O rei Zedequias disse: Ele está em vossas mãos; porque não é o rei que vos fará oposição.

6. Então pegaram Jeremias e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no pátio da guarda; e desceram Jeremias com cordas. Mas na cisterna não havia água, apenas lama; e Jeremias atolou na lama.

7. O etíope Ebede-Meleque, oficial que servia no palácio real, soube que haviam lançado Jeremias na cisterna. Enquanto o rei estava assentado à porta de Benjamim,

8. Ebede-Meleque saiu do palácio e foi falar ao rei:

9. Ó rei, senhor meu, estes homens agiram mal em tudo quanto fizeram ao profeta Jeremias lançando-o na cisterna. É certo que morrerá no lugar onde se acha, por causa da fome, pois acabou-se o pão da cidade.

10. Então o rei deu estas ordens a Ebede-Meleque, o etíope: Leva contigo três homens daqui e tira da cisterna o profeta Jeremias, antes que morra.

11. Assim, Ebede-Meleque levou consigo os homens e entrou no palácio real, debaixo da tesouraria; e pegou dali uns trapos velhos e rasgados, e roupas velhas, e com cordas os baixou a Jeremias na cisterna.

12. E Ebede-Meleque, o etíope, disse a Jeremias: Põe agora debaixo dos braços estes trapos velhos e rasgados, de modo que fiquem entre os braços e as cordas. E Jeremias fez isso.

13. E tiraram Jeremias com as cordas e o alçaram da cisterna. E Jeremias ficou no pátio da guarda.

14. Então o rei Zedequias deu ordens para que levassem o profeta Jeremias à sua presença, na terceira entrada da casa do SENHOR; e o rei disse a Jeremias: Vou perguntar-te uma coisa; não me escondas nada.

15. Jeremias disse a Zedequias: Se te responder, não me matarás? Mesmo que te aconselhe, não me ouvirás.

16. Então o rei Zedequias jurou secretamente a Jeremias: Como vive o SENHOR, que nos deu a vida, não te matarei nem te entregarei nas mãos destes homens que procuram matá-lo.

17. Então Jeremias disse a Zedequias: Assim diz o SENHOR, Deus dos Exércitos, Deus de Israel: Se te renderes aos príncipes do rei da Babilônia, tua vida será poupada e esta cidade não será queimada; e vivereis tu e tua família.

18. Mas, se não te renderes aos príncipes do rei da Babilônia, então esta cidade será entregue nas mãos dos babilônios, que a queimarão; e tu não escaparás das mãos deles.

19. O rei Zedequias disse a Jeremias: Tenho medo dos judeus que já se renderam aos babilônios, e se eu for entregue nas suas mãos, eles me maltratarão.

20. Mas Jeremias disse: Não te entregarão. Peço-te, ouve a voz do SENHOR, conforme te falo; tudo irá bem contigo, e a tua vida será poupada.

21. Mas se não te renderes, esta é a palavra que o SENHOR me mostrou:

22. Então todas as mulheres que ficaram no palácio real de Judá serão levadas aos príncipes do rei da Babilônia, e elas mesmas dirão: Os teus amigos em quem confiavas te enganaram e prevaleceram contra ti; e agora os teus pés estão afundados na lama, e eles te abandonaram.

23. Todas as tuas mulheres e os teus filhos serão levados para fora aos babilônios; e tu não escaparás das suas mãos, mas serás aprisionado pelo rei da Babilônia, e esta cidade será queimada.

24. Então Zedequias disse a Jeremias: Ninguém fique sabendo desta conversa; caso contrário, morrerás.

25. Se os chefes souberem que conversei contigo, forem te encontrar e disserem: Conta-nos agora o que disseste ao rei e o que o rei te disse, não nos escondas nada para que não te matemos;

26. então lhes dirás: Fiz um pedido ao rei, para que ele não me mandasse de volta à casa de Jônatas, para não morrer ali.

27. Então todos os chefes foram a Jeremias e o interrogaram; e ele lhes respondeu conforme todas as palavras que o rei lhe havia ordenado. Assim, não lhe fizeram mais perguntas, pois ninguém havia ouvido a conversa com o rei.

28. E Jeremias ficou no pátio da guarda, até o dia em que Jerusalém foi invadida.