Ezequiel 20

1. No décimo dia do quinto mês do sétimo ano, alguns anciãos de Israel vieram para consultar o SENHOR e sentaram-se diante de mim.

2. Então veio a mim a palavra do SENHOR:

3. Filho do homem, fala aos anciãos de Israel e dize-lhes: Assim diz o SENHOR Deus: Vindes consultar-me? Tão certo como eu vivo, não me deixarei ser consultado por vós, diz o SENHOR Deus.

4. Por acaso os julgarás? Acaso os julgarás, filho do homem? Faze que se lembrem das abominações de seus pais,

5. e dize-lhes: Assim diz o SENHOR Deus: No dia em que escolhi Israel, jurei com minha mão erguida para a descendência da casa de Jacó e me dei a conhecer a eles na terra do Egito, quando jurei-lhes de mão erguida: Eu sou o SENHOR, vosso Deus.

6. Naquele dia, jurei-lhes de mão erguida que os tiraria da terra do Egito para uma terra que havia procurado para eles, onde dá leite e mel, que é a glória de todas as terras.

7. Então lhes disse: Tirai dentre vós as abominações que encantam vossos olhos e não vos contamineis com os ídolos do Egito; eu sou o SENHOR, vosso Deus.

8. Mas eles se rebelaram contra mim e não me quiseram ouvir; não lançaram fora as abominações que encantavam os seus olhos, nem deixaram os ídolos do Egito; então eu disse que derramaria sobre eles o meu furor para cumprir a minha ira contra eles no meio da terra do Egito.

9. Mas eu agi por amor do meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações, no meio das quais eles estavam, a cujos olhos eu me dei a conhecer, tirando-os da terra do Egito.

10. Assim os tirei da terra do Egito e os levei ao deserto.

11. Dei-lhes os meus estatutos e mostrei-lhes as minhas normas, pelas quais o homem viverá ao cumpri-las.

12. Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles; a fim de que soubessem que eu sou o

13. Mas a casa de Israel se rebelou contra mim no deserto, não andando nos meus estatutos e rejeitando as minhas normas, pelas quais o homem viverá ao cumpri-las; e profanaram abertamente os meus sábados; então eu disse que derramaria sobre eles o meu furor no deserto para destruí-los.

14. Mas agi por amor do meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações diante das quais os fiz sair.

15. Entretanto, eu lhes jurei de mão erguida no deserto que não os faria entrar na terra que lhes dera, onde dá leite e mel, que é a glória de todas as terras;

16. porque rejeitaram as minhas normas e não andaram nos meus estatutos, e profanaram os meus sábados, pois o seu coração seguia os seus ídolos.

17. Apesar disso, os meus olhos os pouparam e não os destruí nem os aniquilei no deserto.

18. Mas eu disse a seus filhos no deserto: Não andeis nos estatutos de vossos pais, nem obedeçais às suas normas, nem vos contamineis com os seus ídolos.

19. Eu sou o SENHOR, vosso Deus; andai nos meus estatutos e obedecei às minhas normas, praticando-os.

20. Santificai os meus sábados, que servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR, vosso Deus.

21. Mas os filhos também se rebelaram contra mim; não andaram nos meus estatutos nem obedeceram às minhas normas para as praticar, pelas quais o homem viverá ao cumpri-las; profanaram os meus sábados; por isso disse que derramaria o meu furor sobre eles, para cumprir contra eles a minha ira no deserto.

22. Mas retive a minha mão e procedi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações diante das quais os fiz sair.

23. Também jurei-lhes de mão erguida que os espalharia entre os povos e os dispersaria entre as nações;

24. porque não haviam praticado as minhas normas, mas rejeitaram os meus estatutos, e profanaram os meus sábados, e os seus olhos se voltavam para os ídolos de seus pais.

25. Por isso também lhes dei estatutos que não eram bons e normas pelas quais não poderiam viver;

26. e deixei que se contaminassem com suas próprias ofertas, nas quais queimavam todos os primeiros que saem do ventre, para amedrontá-los, a fim de que soubessem que eu sou o SENHOR.

27. Portanto, fala à casa de Israel, ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Mesmo assim vossos pais blasfemaram contra mim, sendo infiéis para comigo;

28. pois quando eu os fiz entrar na terra que jurei que lhes daria, eles olharam para todo monte alto e para toda árvore frondosa; e ofereceram ali seus sacrifícios, apresentando a provocação das suas ofertas; puseram ali os seus aromas suaves e derramaram as suas libações.

29. E eu lhes disse: Que altar é este para o qual estais indo? Assim o nome dele ficou sendo Bamá, até o dia de hoje.

30. Portanto, dize à casa de Israel: Assim diz o SENHOR Deus: Por acaso vos contaminais a vós mesmos, como vossos pais? E vos prostituís com as suas abominações?

31. E, ao oferecerdes as vossas dádivas, quando sacrificais os vossos filhos, vós vos contaminais com todos os vossos ídolos, até hoje. E eu serei consultado por vós, ó casa de Israel? Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, eu não serei consultado por vós.

32. De modo algum sucederá o que tendes na mente, quando dizeis: Sejamos como as nações, como as tribos das nações, servindo à madeira e à pedra.

33. Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, certamente reinarei sobre vós com mão forte, com braço estendido e com indignação derramada.

34. E vos tirarei do meio dos povos e vos congregarei das nações para as quais fostes espalhados, com mão forte e com braço estendido e com indignação derramada;

35. e vos levarei ao deserto dos povos; ali entrarei em juízo convosco face a face;

36. como entrei em juízo com vossos pais, no deserto da terra do Egito, assim entrarei em juízo convosco, diz o SENHOR Deus.

37. Também vos disciplinarei e vos farei entrar no vínculo da aliança;

38. e separarei dentre vós os rebeldes e os que transgridem contra mim; eu os tirarei da terra das suas peregrinações, mas não voltarão à terra de Israel; e sabereis que eu sou o SENHOR.

39. Quanto a vós, ó casa de Israel, assim diz o SENHOR Deus: Ide, cada um cultuar os seus ídolos; porém, mais tarde me ouvireis e não profanareis mais o meu santo nome com as vossas dádivas e com os vossos ídolos.

40. Pois diz o SENHOR Deus: Toda a casa de Israel na terra, toda ela, haverá de me cultuar no meu santo monte, no monte alto de Israel; ali vos aceitarei e exigirei as vossas ofertas e as primícias das vossas dádivas, com todas as vossas ofertas sagradas.

41. Eu vos aceitarei como aroma suave, quando eu vos tirar dentre os povos e vos congregar do meio das nações em que fostes espalhados; e serei santificado em vós, à vista das nações.

42. E sabereis que eu sou o SENHOR, quando eu vos fizer entrar na terra de Israel, na terra que jurei dar a vossos pais.

43. Ali vos lembrareis de vossos caminhos e de todos os atos com que vos tendes contaminado; e tereis nojo de vós mesmos, por causa de todas as maldades que tendes cometido.

44. E sabereis que eu sou o SENHOR, quando eu agir para convosco por amor do meu nome, não conforme as vossas obras, nem conforme os vossos atos corruptos, ó casa de Israel, diz o SENHOR Deus.

45. E veio a mim a palavra do SENHOR:

46. Filho do homem, vira o rosto para o sul e derrama as tuas palavras contra o sul; profetiza contra a floresta do sul.

47. E diz à floresta do sul: Ouve a palavra do SENHOR: Assim diz o SENHOR Deus: Eu acenderei em ti um fogo que consumirá em ti toda árvore verde e toda árvore seca; não se apagará a chama flamejante; pelo contrário, todos os rostos se queimarão com ela, desde o sul até o norte.

48. Todos verão que eu, o SENHOR, o acendi; não se apagará.

49. Então disse eu: Ah, SENHOR Deus! Eles dizem de mim: Não é este um contador de parábolas?