Ezequiel 22

1. A palavra do SENHOR veio a mim:

2. Ó filho do homem, por acaso julgarás? Julgarás mesmo a cidade sanguinária? Então faze-lhe conhecer todas as suas abominações

3. e dize: Assim diz o SENHOR Deus: Ai da cidade que derrama sangue sobre si mesma, para que venha o seu tempo, e faz ídolos contra si mesma, para se contaminar!

4. Tu te tornaste culpada pelo sangue que derramaste e te contaminaste pelos ídolos que fabricaste; fizeste o teu dia aproximar-se, e o fim dos teus anos chegou. Por isso eu te transformei em vergonha das nações e em motivo de zombaria de todas as terras.

5. Ó cidade infame, cheia de tumulto, as nações próximas e distantes zombarão de ti.

6. E os chefes de Israel que estão em ti, cada um conforme o seu poder, esforçam-se por derramar sangue.

7. No meio de ti, eles desprezaram pai e mãe, oprimiram o estrangeiro e foram injustos para com o órfão e a viúva.

8. Tu desprezaste as minhas coisas santas e profanaste os meus sábados.

9. No meio de ti se acham caluniadores para derramar sangue; no meio de ti há os que comem sobre os montes e cometem perversidade.

10. No teu meio há aqueles que desonram a vergonha do pai; no meio de ti humilham a que está impura durante a menstruação.

11. No teu meio um comete abominação com a mulher do próximo, outro, de modo abominável, contamina a sua nora, e outro humilha sua irmã, filha de seu pai.

12. No teu meio há quem aceite pagamento para derramar sangue. Tu recebes juros e mais do que emprestou e praticas extorsão contra o próximo, oprimindo-o; mas te esqueceste de mim, diz o SENHOR Deus.

13. E eu bato palmas contra o lucro desonesto que ganhaste, por causa do sangue que houve no meio de ti.

14. Por acaso o teu coração poderá estar firme? As tuas mãos poderão estar fortes nos dias em que tratarei contigo? Eu, o SENHOR, disse essas coisas e as farei.

15. Eu te espalharei entre as nações e te dispersarei pelas terras; porei fim à tua imundícia.

16. E, aos olhos das nações, tu serás profanada em ti mesma e saberás que eu sou o SENHOR.

17. De novo a palavra do SENHOR veio a mim:

18. Filho do homem, a casa de Israel se tornou escória para mim; todos eles são bronze, estanho, ferro e chumbo no meio da fornalha; tornaram-se em escória de prata.

19. Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Visto que todos vós vos tornastes em escória, eu vos ajuntarei no meio de Jerusalém.

20. Como se ajuntam a prata, o bronze, o ferro, o chumbo e o estanho no meio da fornalha, para assoprar o fogo sobre eles, a fim de se derreterem, assim vos ajuntarei na minha ira e no meu furor, e ali vos porei e vos derreterei.

21. Sim, eu vos reunirei e assoprarei o fogo da minha ira sobre vós; e sereis derretidos no meio dela.

22. Como se derrete a prata no meio da fornalha, assim sereis derretidos no meio dela; e sabereis que eu, o SENHOR, derramei meu furor sobre vós.

23. Novamente a palavra do SENHOR veio a mim:

24. Filho do homem, diz a ela: Tu és uma terra que não está purificada, nem foi regada com chuvas no dia da indignação.

25. No meio dela há conspiração dos seus profetas, como um leão que ruge, que arrebata a presa. Eles devoram vidas humanas, tomam tesouros e coisas preciosas e multiplicam o número de viúvas em seu meio.

26. Seus sacerdotes infringem minha lei e profanam minhas coisas santas, não fazem diferença entre o santo e o profano, nem ensinam a discernir entre o impuro e o puro; escondem os seus olhos de meus sábados, e assim sou profanado no meio deles.

27. Seus chefes são como lobos que arrebatam a presa no meio da terra, derramando sangue e destruindo vidas, para ter lucro desonesto.

28. Os profetas lhes têm feito reboco com argamassa fraca, com visões falsas e adivinhações mentirosas, dizendo: Assim diz o SENHOR Deus, sem que o SENHOR tenha falado.

29. O povo da terra tem agido com opressão, roubando e fazendo violência ao pobre e ao necessitado, e tem oprimido injustamente o estrangeiro.

30. Busquei entre eles um homem que levantasse o muro e se pusesse na brecha diante de mim por esta terra, para que eu não a destruísse, mas não achei ninguém.

31. Por isso, derramei minha indignação sobre eles; eu os consumi com o fogo do meu furor; fiz com que seu caminho lhes recaísse sobre a cabeça, diz o SENHOR Deus.