Ezequiel 40

1. No início do vigésimo quinto ano do nosso cativeiro, no décimo dia do mês, no décimo quarto ano depois que a cidade foi conquistada, naquele mesmo dia a mão do SENHOR veio sobre mim

2. e me levou em visões de Deus à terra de Israel; e me pôs sobre um monte muito alto, sobre o qual havia um edifício semelhante a uma cidade no lado sul.

3. Levou-me para lá, onde vi um homem cuja aparência era como a do bronze; tinha na mão uma corda de linho e uma vara de medir; e ele estava em pé na porta.

4. E o homem me disse: Filho do homem, vê com os olhos, ouve com os ouvidos e guarda no coração tudo quanto eu te mostrar, pois foste trazido aqui para que eu te mostre isso. Anuncia à casa de Israel tudo quanto vires.

5. Havia um muro ao redor do templo, do lado de fora, e na mão do homem, uma vara de medir de seis côvados de comprimento, tendo cada côvado quadro dedos a mais; ele mediu o edifício, que tinha uma vara de largura e uma de altura.

6. Então ele veio à porta oriental e subiu pelos seus degraus; mediu a soleira da porta, que tinha uma vara de largura, e a outra soleira, uma vara de largura.

7. Cada sala tinha uma vara de comprimento e uma de largura; e o espaço entre as salas era de cinco côvados; e a soleira da porta, junto ao pórtico, em direção ao templo, tinha uma vara.

8. Ele também mediu o pórtico, em direção ao templo, que tinha uma vara.

9. Então mediu o pórtico, que era de oito côvados, e os seus pilares, dois côvados; e o pórtico estava na direção do templo.

10. A porta oriental possuía três salas de cada lado; as três tinham a mesma medida; os pilares dos dois lados também tinham a mesma medida.

11. Ele mediu a largura da entrada da porta, que era de dez côvados; e o comprimento da porta, treze côvados.

12. Em frente de cada sala havia um espaço de um côvado, o espaço do outro lado também era de um côvado; e cada câmara tinha seis côvados de um lado e seis côvados do outro.

13. Então mediu a porta, desde o teto de uma sala até o de outra; a largura de uma porta à outra do lado oposto era de vinte e cinco côvados.

14. Mediu também os pilares, sessenta côvados; e o pátio se estendia até os pilares em redor da porta.

15. A distância da entrada da porta até o extremo do pórtico da porta interior era de cinquenta côvados.

16. Havia também janelas na direção das salas e dos pilares, ao redor, dentro da entrada, e do mesmo modo no pórtico; e as janelas rodeavam a parte de dentro; e havia palmeiras nos pilares.

17. Então ele me levou ao pátio, e dali eu vi salas e um pavimento ao redor do pátio; havia trinta salas naquele pavimento.

18. O pavimento, isto é, o pavimento inferior, corria junto às portas segundo o comprimento delas.

19. Em seguida, ele mediu a largura desde a dianteira da porta inferior até a dianteira do pátio interior, por fora, cem côvados, tanto do lado oriental como do lado norte.

20. Ele mediu também o comprimento e a largura da porta do lado norte, no pátio exterior.

21. Havia três salas de cada lado; seus pilares e seus pórticos eram de cinquenta côvados de comprimento e vinte e cinco côvados de largura, a mesma medida da primeira porta.

22. Suas janelas, seu pórtico e suas palmeiras eram da medida da porta do lado oriental; para chegar a ela, subiam-se sete degraus; o seu pórtico ficava do lado oposto.

23. Havia uma porta do pátio interior defronte da outra porta tanto do norte como do oriente; a distância entre uma porta e outra era de cem côvados.

24. Então ele me levou para o lado sul; e vi ali uma porta voltada para o sul, cujos pilares e pórtico tinham as mesmas medidas que as outras portas.

25. Havia também janelas em redor do seu pórtico, como as outras janelas; tinham cinquenta côvados de comprimento e vinte e cinco de largura.

26. Para chegar a ela, subiam-se sete degraus, estando o pórtico do lado oposto; e havia palmeiras, uma de cada lado dos seus pilares.

27. Também havia uma porta para o pátio interior, voltada para o sul, cuja distância da outra porta era de cem côvados.

28. Então me levou ao pátio interior pela porta do sul; e essa porta tinha a mesma medida das outras.

29. As suas salas, os seus pilares e o seu pórtico tinham as mesmas medidas dos outros; e havia janelas ao redor de seu pórtico, medindo cinquenta côvados de comprimento e vinte e cinco de largura.

30. O pórtico em redor media vinte e cinco côvados de comprimento e cinco de largura.

31. Seu pórtico era voltado para o pátio; e havia palmeiras nos seus pilares; para chegar a ele subiam-se oito degraus.

32. Depois me levou ao pátio interior, voltado para o oriente; a porta tinha a mesma medida que as anteriores;

33. suas salas, seus pilares e o seu pórtico também tinham as mesmas medidas; havia janelas ao redor do seu pórtico, medindo cinquenta côvados de comprimento e vinte e cinco de largura.

34. O seu pórtico dava para o pátio; também havia palmeiras em cada lado de seus pilares e para chegar a ele subiam-se oito degraus.

35. Então me levou à porta do norte, que tinha as mesmas medidas das anteriores.

36. E suas salas, seus pilares e o seu pórtico; também tinha janelas em redor; o comprimento era de cinquenta côvados, e a largura de vinte e cinco côvados.

37. O seu pórtico dava para o pátio; também havia palmeiras em cada lado dos seus pilares; e para se chegar a ele subiam-se oito degraus.

38. Havia uma sala com a sua entrada junto aos pilares, perto das portas; aí se lavava o holocausto.

39. No pórtico da porta havia duas mesas de cada lado, onde se imolavam o holocausto, a oferta pelo pecado e a oferta pela culpa.

40. Também havia duas mesas de um lado da parte externa, junto à escada para a entrada da porta do norte, e duas mesas do outro lado do pórtico da porta.

41. Havia quatro mesas de cada lado, junto à porta; oito mesas, sobre as quais se imolavam os sacrifícios.

42. E havia quatro mesas de pedras lavradas para o holocausto, medindo um côvado e meio de comprimento, um côvado e meio de largura e um côvado de altura. Sobre elas eram colocados os instrumentos com que se imolavam o holocausto e o sacrifício.

43. Havia ganchos de um palmo de comprimento, pendurados por dentro em toda a volta; e a carne da oferta estava sobre as mesas.

44. Depois da porta interior ficavam as salas dos cantores, no pátio interior, que estava ao lado da porta do norte; e elas estavam voltadas para o sul; uma ficava ao lado da porta do oriente voltada para o norte.

45. Ele me disse: Esta sala voltada para o sul é para os sacerdotes que têm a guarda do templo.

46. Mas a sala voltada para o norte é para os sacerdotes que têm a guarda do altar, isto é, os filhos de Zadoque, os levitas que vêm servir o SENHOR.

47. Ele mediu o pátio, que era quadrado: cem côvados de comprimento e cem de largura; e o altar ficava em frente do templo.

48. Então me levou ao pórtico do templo e mediu cada pilar do pórtico, que tinha cinco côvados de um lado e cinco côvados do outro; e a largura da porta era de três côvados de um lado e três do outro.

49. O comprimento do pórtico era de vinte côvados, e a largura de doze côvados; e para chegar a ele subiam-se dez degraus; havia colunas junto aos pilares, uma de cada lado.