Ezequiel 47

1. Depois disso, ele me levou de volta à entrada do templo, e vi água saindo por baixo da soleira do templo, em direção ao oriente, pois a frente do templo dava para o oriente; e a água descia pelo lado sul do templo, ao sul do altar.

2. Então ele me levou para fora pela passagem da porta norte, e me fez dar uma volta pela passagem de fora até a porta exterior, pela passagem da porta oriental; e vi água saindo pelo lado sul.

3. O homem saiu para o oriente, levando na mão uma corda de medir; ele mediu mil côvados e me fez passar pelas águas, que batiam na altura do tornozelo.

4. De novo mediu mil côvados e me fez passar pelas águas, que batiam na altura dos joelhos; outra vez mediu mil, e me fez passar pelas águas, que batiam na altura da cintura.

5. Ainda mediu mais mil côvados, e era um rio, que eu não podia atravessar; pois as águas tinham subido, tornando-se um rio que não se podia atravessar, a não ser a nado.

6. Ele me perguntou: Viste, filho do homem? Então me levou e me fez voltar à margem do rio.

7. Quando voltei, vi um grande número de árvores de cada lado do rio.

8. Então ele me disse: Estas águas saem para a região oriental e, descendo pela Arabá, entrarão no mar Morto e, ao entrarem nas águas salgadas, estas se tornarão doces.

9. E por onde quer que o rio passe, haverá todo ser vivo que vive em enxames e muitíssimo peixe; porque essas águas chegarão lá para que as águas do mar se tornem doces, e por onde quer que este rio passe, tudo viverá.

10. Os pescadores estarão junto dele; haverá lugar para estender as redes desde En-Gedi até En-Eglaim; o seu peixe será em grande volume, segundo a sua espécie, como o peixe do mar Grande.

11. Mas os seus charcos e os seus pântanos não ficarão doces; serão salgados.

12. Junto do rio, em ambas as margens, nascerá todo tipo de árvore que dá fruto comestível. A sua folha não murchará, nem o seu fruto faltará. Dará novos frutos nos seus meses, porque as suas águas saem do santuário. O seu fruto servirá de alimento, e a sua folha, de remédio.

13. Assim diz o SENHOR Deus: Este será o critério com o qual repartireis a terra em herança, segundo as doze tribos de Israel. José terá duas partes.

14. E vós a herdareis, tanto um como o outro; pois jurei com mão erguida sobre ela que a daria a vossos pais; assim esta terra será a vossa herança.

15. Este será o território da terra: para o norte, desde o mar Grande, na direção de Hetlom, até a entrada de Zedade;

16. Hamate, Berota, Sibraim, que está entre o território de Damasco e o território de Hamate; Hazer-Haticom, que está junto ao território de Haurã.

17. O território irá do mar até Hazar-Enom, junto ao território do norte de Damasco, tendo ao norte o território de Hamate. Essa será a fronteira do norte.

18. E a fronteira do oriente, entre Haurã, Damasco, Gileade e a terra de Israel, será o Jordão; medireis desde o território do norte até o mar do oriente. Essa será a fronteira do oriente.

19. E a fronteira sul será desde Tamar até as águas de Meribote-Cades, ao longo do ribeiro do Egito até o mar Grande. Essa será a fronteira sul.

20. E a fronteira do ocidente será o mar Grande, desde o território do sul até Lebo-Hamate. Essa será a fronteira do ocidente.

21. Repartireis essa terra entre vós, segundo as tribos de Israel.

22. Vós a repartireis em herança, por sortes, entre vós e entre os estrangeiros que habitam no meio de vós e que têm gerado filhos no vosso meio; e vós os tereis como naturais entre os israelitas; terão herança convosco, no meio das tribos de Israel.

23. Na tribo onde o estrangeiro habitar, ali lhe dareis a sua herança, diz o SENHOR Deus.