Daniel 10

1. No terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, uma palavra foi revelada a Daniel, cujo nome é Beltessazar, uma palavra verdadeira sobre um grande conflito; e ele entendeu esta palavra e teve entendimento da visão.

2. Naqueles dias, eu, Daniel, estava chorando por três semanas inteiras.

3. Não comi nada agradável, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com óleo, até que se cumpriram as três semanas completas.

4. No dia vinte e quatro do primeiro mês, eu estava à margem do grande rio, o Tigre.

5. Levantei os olhos, olhei e vi um homem vestido de linho e com um cinto de ouro fino de Ufaz;

6. seu corpo era como o berilo, e seu rosto como um relâmpago; seus olhos eram como tochas de fogo, e seus braços e seus pés como o brilho de bronze polido; e a voz das suas palavras como a voz de uma multidão.

7. Só eu, Daniel, vi aquela visão; os homens que estavam comigo não a viram: apesar disso, caiu sobre eles um grande temor, e eles fugiram para se esconder.

8. Eu fiquei sozinho contemplando a grande visão, e senti-me enfraquecido; meu rosto ficou pálido, e não retive força alguma.

9. Entretanto, ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo o som das suas palavras, fiquei em transe, com o rosto em terra.

10. Então vi uma mão que me tocou e me levantou; os meus joelhos e mãos tremiam.

11. Ele me disse: Daniel, homem muito amado, entende as palavras que vou te dizer e levanta-te, pois fui enviado a ti. Depois que ele me disse isso, eu me coloquei em pé, tremendo.

12. Então ele me disse: Não temas, Daniel, porque as tuas palavras foram ouvidas desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te diante do teu Deus, e eu vim por causa das tuas palavras.

13. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; e Miguel, um dos maiores príncipes, veio em meu auxílio, e eu o deixei ali com os reis da Pérsia.

14. Agora vim para te fazer entender o que acontecerá ao teu povo nos últimos dias, pois a visão se refere a dias ainda distantes.

15. Quando ele me disse isso, prostrei-me com o rosto em terra e fiquei mudo.

16. E um ser parecido com um homem me tocou os lábios; então abri a boca e falei, e disse àquele que estava em pé diante de mim: Senhor meu, estou aflito e desfaleço por causa da visão.

17. Como pode o teu servo falar com o meu Senhor? Eu já não tenho forças nem fôlego.

18. Então o ser que parecia um homem voltou a me tocar e me reanimou.

19. E disse: Não temas, homem muito amado! Paz seja contigo! Sê forte e tem bom ânimo. E quando ele falou comigo, fiquei fortalecido e disse: Fala, meu senhor, pois me fortaleceste.

20. Ele ainda disse: Sabes por que eu vim a ti? Agora tornarei a lutar contra o príncipe dos persas; e, quando eu sair, o príncipe da Grécia virá.

21. Contudo, eu te declararei o que está escrito no livro da verdade; e ninguém me auxiliará contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe.