Números 5

1. O SENHOR disse a Moisés:

2. Ordena aos israelitas que mandem todo leproso para fora do acampamento, e todo o que sofre de fluxo, e todo o que está impuro por haver tocado em um morto;

3. mandareis para fora tanto homem como mulher, para que não contaminem seu acampamento, no meio do qual habito.

4. Assim fizeram os israelitas, mandando-os para fora do acampamento; conforme o SENHOR havia falado a Moisés, assim os israelitas fizeram.

5. O SENHOR disse a Moisés:

6. Dize aos israelitas: Quando um homem ou uma mulher pecar contra o seu próximo, transgredindo os mandamentos do SENHOR, tornando-se assim culpado,

7. confessará o pecado que houver cometido e fará plena restituição pela sua culpa; e ainda acrescentará um quinto a essa restituição e a dará àquele contra quem houver pecado.

8. Mas, se esse homem não tiver um parente próximo a quem se possa fazer a restituição pela culpa, esta será feita ao SENHOR e será do sacerdote, além do carneiro da expiação com que se fizer expiação por ele.

9. Da mesma forma, pertencerão ao sacerdote todas as ofertas que os israelitas tirarem das suas coisas consagradas e levarem a ele.

10. Enfim, as coisas consagradas de cada um serão do sacerdote; tudo que alguém lhe der será dele.

11. E o SENHOR disse a Moisés:

12. Fala aos israelitas: Se a mulher de alguém se desviar, pecando contra ele,

13. e algum homem se deitar com ela, e isso ficar escondido dos olhos do marido e for mantido em segredo; se ela se houver contaminado, e não houver testemunha contra ela, por não ter sido apanhada em flagrante;

14. se o sentimento de ciúmes vier sobre ele, levando-o a ter ciúmes de sua mulher, por ela haver se contaminado, ou se vier tal sentimento sobre ele, levando-o a ter ciúmes de sua mulher, mesmo que ela não tenha se contaminado;

15. o homem levará sua mulher diante do sacerdote e levará também sua oferta por ela: a décima parte de um efa de farinha de cevada, sobre a qual não colocará azeite nem incenso, porque é oferta de cereais por ciúmes, oferta de recordação, que faz recordar a culpa.

16. O sacerdote fará a mulher aproximar-se e a colocará diante do SENHOR.

17. Então pegará água sagrada num jarro de barro e nela colocará pó, que pegará no chão do tabernáculo.

18. Então apresentará a mulher diante do SENHOR, descobrirá a cabeça dela e lhe porá na mão a oferta de cereais para recordação, que é a oferta de cereais por ciúmes; e o sacerdote terá na mão a água de amargura, que traz consigo a maldição.

19. Então fará com que ela jure e lhe dirá: Se nenhum homem se deitou contigo, e se não te desviaste para a impureza, violando o voto conjugal, sejas livre desta água de amargura, que traz consigo a maldição;

20. mas se te desviaste, violando o voto conjugal, e te contaminaste, e algum homem que não é teu marido se deitou contigo;

21. então o sacerdote, fazendo a mulher prestar o juramento de maldição, lhe dirá: O SENHOR te ponha por maldição e praga no meio do teu povo, fazendo-te o SENHOR definhar a tua coxa e inchar o teu ventre;

22. e esta água que traz consigo a maldição entrará nas tuas entranhas para fazer inchar o teu ventre e definhar a tua coxa. Então a mulher dirá: Amém, amém.

23. O sacerdote escreverá essas maldições num livro e as apagará com a água de amargura;

24. e fará a mulher beber a água de amargura, que traz consigo a maldição. E a água que traz consigo a maldição entrará nela, produzindo amargura.

25. O sacerdote pegará a oferta de cereais por ciúmes da mão da mulher, a moverá diante do SENHOR e a levará ao altar.

26. Também pegará um punhado da oferta de cereais como memorial da oferta e o queimará sobre o altar; e depois fará a mulher beber a água.

27. Quando tiver feito que ela beba a água, acontecerá que, se ela houver se contaminado e pecado contra o marido, a água que traz consigo a maldição entrará nela, tornando-se amarga. Seu ventre inchará e sua coxa definhará; e a mulher será uma maldição no meio do seu povo.

28. Mas, se a mulher não houver se contaminado e for inocente, então estará livre e terá filhos.

29. Essa é a lei dos ciúmes, quando uma mulher quebra o voto conjugal, ao desviar-se e se contaminar;

30. ou a respeito do homem sobre quem vier o sentimento de ciúmes, e ele tiver ciúmes de sua mulher. Ele apresentará a mulher diante do SENHOR, e o sacerdote cumprirá toda essa lei para com ela.

31. Esse homem estará livre de culpa. A mulher, porém, terá sua culpa sobre si.