Marcos 3

1. Outra vez Jesus entrou numa sinagoga, e estava ali um homem com uma das mãos atrofiada.

2. E o observavam com atenção para ver se ele curaria o homem no sábado, a fim de o acusarem.

3. E Jesus disse ao homem cuja mão era atrofiada: Levanta-te e vem para o meio.

4. Então lhes perguntou: É permitido fazer o bem ou o mal no sábado? Salvar a vida ou matar? Eles, porém, ficaram calados.

5. Olhando para eles ao redor, indignado e muito triste por causa da dureza do coração deles, disse ao homem: Estende a tua mão. Ele a estendeu, e ela lhe foi restaurada.

6. Mas, assim que saíram dali, os fariseus conspiraram com os herodianos contra ele, a fim de o matar.

7. Jesus, porém, retirou-se com seus discípulos para beira-mar, e uma grande multidão, vinda da Galileia, o seguiu.

8. Tendo ouvido falar de tudo quanto ele fazia, foram até ele grandes multidões procedentes da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia e do outro lado do Jordão, e das regiões ao redor de Tiro e Sidom.

9. E ele disse a seus discípulos que lhe preparassem um barquinho, por causa da multidão, para que não o comprimissem,

10. pois havia curado muitos, de modo que todos quantos tinham alguma doença empurravam-se na direção dele para tocá-lo.

11. E quando os espíritos impuros o viam, prostravam-se diante dele e gritavam: Tu és o Filho de Deus.

12. Mas ele os repreendia com severidade para que não divulgassem quem ele era.

13. Depois Jesus subiu a um monte e chamou os que ele mesmo quis; e estes foram até ele.

14. Então designou doze para que estivessem com ele, e os enviasse a pregar,

15. e para que tivessem autoridade para expulsar demônios.

16. Estes são os doze que ele designou: Simão, a quem deu o nome de Pedro;

17. Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, aos quais deu o nome de Boanerges, que significa filhos do trovão;

18. André; Filipe; Bartolomeu; Mateus; Tomé; Tiago, filho de Alfeu; Tadeu; Simão, o cananeu,

19. e Judas Iscariotes, que o traiu.

20. Depois ele entrou numa casa, e novamente aglomerou-se uma multidão, de modo que não podiam nem mesmo comer.

21. Quando seus familiares souberam disso, saíram para impedi-lo, pois diziam: Ele está fora de si.

22. E os escribas que tinham descido de Jerusalém diziam: Ele está possuído por Belzebu. É pelo chefe dos demônios que expulsa os demônios.

23. Então Jesus os chamou e lhes disse por parábolas: Como pode Satanás expulsar Satanás?

24. Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não poderá subsistir.

25. Se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir.

26. E se Satanás se opõe a si mesmo e está dividido, não poderá subsistir; mas chegou o seu fim.

27. Pois ninguém pode entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens sem que primeiro o amarre; então lhe saqueará a casa.

28. Em verdade vos digo: Todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, bem como todas as blasfêmias que proferirem,

29. mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca mais terá perdão; mas será culpado de pecado eterno.

30. Pois diziam: Ele está possuído por um espírito impuro.

31. Então a mãe e os irmãos de Jesus chegaram e ficaram do lado de fora da casa; e mandaram chamá-lo.

32. Havia muita gente sentada ao redor dele, e disseram-lhe: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e te procuram.

33. Jesus lhes respondeu: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?

34. E olhando em redor para os que estavam sentados à sua volta, disse: Aqui estão minha mãe e meus irmãos!

35. Aquele, pois, que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe.