Marcos 9

1. Disse-lhes mais: Em verdade vos digo que, dentre os que estão aqui, há alguns que de modo algum provarão a morte até que vejam o reino de Deus chegando com poder.

2. Seis dias depois, Jesus tomou Pedro, Tiago e João e levou-os em particular a um alto monte; e foi transfigurado diante deles.

3. As roupas dele resplandeceram e ficaram extremamente brancas, como nenhum lavandeiro na terra poderia branqueá-las.

4. Então Elias e Moisés apareceram diante deles; e falavam com Jesus.

5. Tomando a palavra, Pedro disse a Jesus: Mestre, é bom estarmos aqui; façamos três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias.

6. Pois não sabia o que dizer, porque ficaram com muito medo.

7. Nisso veio uma nuvem que os cobriu, e dela saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado; a ele ouvi.

8. De repente, olhando em redor, não viram mais ninguém, a não ser Jesus.

9. Enquanto desciam do monte, Jesus ordenou-lhes que a ninguém contassem o que tinham visto, até que o Filho do homem ressuscitasse dentre os mortos.

10. E eles guardaram o caso em segredo, conversando sobre o que seria o ressuscitar dentre os mortos.

11. Então perguntaram-lhe: Por que os escribas dizem ser necessário que Elias venha primeiro?

12. Jesus lhes respondeu: Na verdade, Elias vem primeiro e restaura todas as coisas; mas, então, como está escrito que o Filho do homem deve sofrer muito e ser desprezado?

13. Digo-vos, porém, que Elias já veio, e fizeram-lhe tudo quanto quiseram, segundo está escrito a seu respeito.

14. Quando chegaram onde estavam os outros discípulos, viram ao redor deles uma grande multidão, e alguns escribas discutindo com eles.

15. E logo toda a multidão, vendo Jesus, ficou muito surpresa; e todos correram na direção dele e o cumprimentaram.

16. E Jesus lhes perguntou: O que estais discutindo?

17. E alguém dentre a multidão lhe respondeu: Mestre, eu te trouxe meu filho, que tem um espírito mudo.

18. Onde quer que o apanhe, provoca-lhe convulsões, de modo que ele espuma pela boca, range os dentes e começa a se enrijecer. Pedi aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram.

19. E Jesus lhes respondeu: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando terei de suportá-los? Tragam-me o menino.

20. Então eles o trouxeram. Ao ver Jesus, o espírito imediatamente provocou-lhe uma convulsão, e o endemoninhado, caindo ao chão, rolava, espumando pela boca.

21. Jesus perguntou ao pai dele: Há quanto tempo isso lhe acontece? Ele respondeu: Desde a infância.

22. E muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para destruí-lo. Mas se podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos.

23. Ao que lhe disse Jesus: Se podes? Tudo é possível ao que crê.

24. Imediatamente o pai do menino clamou: Eu creio! Ajuda-me na minha incredulidade.

25. Vendo que a multidão, correndo, aglomerava-se, Jesus repreendeu o espírito impuro, dizendo: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai dele e nunca mais entres nele.

26. Então o espírito saiu, gritando e agitando-o muito. O menino ficou como se estivesse morto, de modo que muitos diziam: Ele morreu.

27. Mas Jesus, tomando-o pela mão, levantou-o, e ele ficou em pé.

28. Quando entrou em casa, seus discípulos lhe perguntaram em particular: Por que não conseguimos expulsá-lo?

29. Ele lhes respondeu: Essa espécie não sai a não ser pela oração [e jejum].

30. Eles partiram dali e passaram pela Galileia. Mas Jesus não queria que ninguém soubesse disso,

31. pois ensinava a seus discípulos, dizendo-lhes: O Filho do homem será entregue nas mãos dos homens, que o matarão; e depois de três dias ressuscitará.

32. Mas eles não entenderam essa palavra e temiam interrogá-lo.

33. E chegaram a Cafarnaum. Em casa, perguntou-lhes: O que discutíeis no caminho?

34. Mas eles se calaram, pois haviam discutido pelo caminho qual deles era o maior.

35. Então, sentando-se, chamou os Doze e lhes disse: Se alguém quiser ser o primeiro, será o último e o servo de todos.

36. Então Jesus tomou uma criança, colocou-a no meio deles e, pegando-a nos braços, disse-lhes:

37. Qualquer pessoa que receber uma destas crianças em meu nome, a mim me recebe; e quem me recebe, não recebe a mim, mas aquele que me enviou.

38. Disse-lhe João: Mestre, vimos um homem que expulsava demônios em teu nome e nós o proibimos, pois ele não nos seguia.

39. Jesus, porém, respondeu: Não o proibais. Ninguém há que realize um milagre em meu nome e possa logo depois falar mal de mim,

40. pois quem não é contra nós é por nós.

41. Assim, qualquer pessoa que vos der de beber um copo de água em meu nome, porque sois de Cristo, em verdade vos digo que de modo nenhum perderá a sua recompensa.

42. Quem, porém, fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe seria pendurar no pescoço uma pedra de moinho e ser jogado no mar.

43. E se a tua mão te fizer tropeçar, corta-a; pois é melhor entrares na vida defeituoso do que, tendo duas mãos, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga

44. [onde o verme não morre e o fogo não se apaga].

45. Se o teu pé te fizer tropeçar, corta-o; pois é melhor entrares na vida aleijado, do que, tendo dois pés, ser jogado no inferno

46. [onde o seu o verme não morre e o fogo não se apaga].

47. Se o teu olho te fizer tropeçar, joga-o fora; pois é melhor entrares no reino de Deus com um olho só do que, tendo dois olhos, ser lançado no inferno,

48. onde o verme não morre e o fogo não se apaga.

49. Porque cada um será salgado com fogo.

50. O sal é bom; mas se ele se tornar insípido, como recuperar-lhe o sabor? Tende sal em vós mesmos e preservai a paz uns com os outros.