Lucas 11

1. Jesus estava orando em certo lugar e, quando terminou, um de seus discípulos lhe disse: Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele.

2. Ele então lhes falou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino;

3. dá-nos diariamente nosso pão do dia a dia;

4. e perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo que nos deve; e não nos deixes entrar em tentação, mas livra-nos do mal.

5. Disse-lhes também: Se alguém tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães,

6. pois um amigo meu chegou de viagem, e não tenho o que lhe oferecer;

7. e se ele, de dentro, responder: Não me incomodes; a porta já está fechada, eu e os meus filhos já nos acomodamos para dormir; não posso levantar-me para te atender;

8. eu vos digo que, mesmo que não se levante para dar os pães por causa da amizade, ele se levantará por causa do incômodo e dará quantos pães o outro precisar.

9. Por isso eu vos digo: Pedi, e vos será dado; buscai, e achareis; batei, e a porta vos será aberta;

10. pois todo o que pede, recebe; quem busca, acha; e ao que bate, a porta será aberta.

11. E qual pai dentre vós, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma cobra em lugar do peixe?

12. Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião?

13. Se vós, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo aos que o pedirem.

14. Jesus estava expulsando um demônio que era mudo; e, quando o demônio saiu, o mudo falou; e a multidão ficou admirada.

15. Mas alguns disseram: Ele expulsa os demônios por meio de Belzebu, o chefe dos demônios.

16. E outros, para colocá-lo à prova, pediam-lhe um sinal do céu.

17. Ele, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo será destruído, e uma família atacará outra família.

18. Então, se Satanás está dividido contra si mesmo, como o seu reino sobreviverá? Pois dizeis que eu expulso os demônios por meio de Belzebu.

19. E se eu expulso os demônios por meio de Belzebu, por quem os vossos seguidores os expulsam? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes.

20. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então o reino de Deus chegou a vós.

21. Quando um homem forte e armado guarda a sua casa, os seus bens estão em segurança;

22. mas, chegando outro mais forte do que ele e vencendo-o, tira-lhe todas as armas em que confiava e reparte os bens que tomou.

23. Quem não está comigo, está contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.

24. Quando um espírito impuro sai de um homem, anda por lugares áridos, buscando repouso; se não o encontra, diz: Voltarei para minha casa de onde saí.

25. E chegando, encontra-a varrida e enfeitada.

26. Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o último estado desse homem torna-se pior do que o primeiro.

27. Enquanto ele dizia essas coisas, uma mulher entre a multidão levantou a voz e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te gerou e os seios que te amamentaram.

28. Mas ele respondeu: Antes, bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a praticam.

29. Como a multidão aumentava, ele começou a dizer: Esta é uma geração perversa; ela pede um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o de Jonas.

30. Porque assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, também o Filho do homem o será para esta geração.

31. A rainha do Sul se levantará no juízo contra os homens desta geração e os condenará, pois veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; e aqui está quem é maior do que Salomão.

32. Os homens de Nínive se levantarão no juízo contra esta geração e a condenarão, pois se arrependeram com a pregação de Jonas; e aqui está quem é maior do que Jonas.

33. Ninguém acende uma candeia e a coloca em lugar oculto, nem debaixo do cesto, mas no velador, para que os que entram vejam a luz.

34. A candeia do corpo são os olhos. Quando os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas, quando forem maus, o teu corpo será repleto de trevas.

35. Cuida, então, para que a luz que há em ti não sejam trevas.

36. Se, pois, o teu corpo todo estiver iluminado, sem parte alguma em trevas, ele será todo luminoso, à semelhança da candeia que te ilumina com o seu resplendor.

37. Quando Jesus terminou de falar, um fariseu o convidou para vir comer com ele; e, entrando, Jesus sentou-se à mesa.

38. O fariseu admirou-se, vendo que ele não se lavara antes de comer.

39. E o Senhor lhe disse: Vós, os fariseus, limpais o exterior do copo e do prato; mas o vosso interior está cheio de cobiça e maldade.

40. Loucos! Quem fez o exterior não fez também o interior?

41. Dai, porém, de esmola o que está dentro do copo e do prato, e todas as coisas vos serão limpas.

42. Mas ai de vós, fariseus, porque dais o dízimo da hortelã, da arruda e de toda hortaliça, e desprezais a justiça e o amor de Deus. Devíeis praticar estas coisas, sem esquecer aquelas.

43. Ai de vós, fariseus, porque gostais dos primeiros assentos nas sinagogas e dos cumprimentos em público.

44. Ai de vós, porque sois como sepulturas ocultas, sobre as quais os homens caminham sem saber.

45. Então um dos doutores da lei lhe disse: Mestre, quando dizes isso, também ofendes a nós.

46. Ele, porém, respondeu: Ai de vós também, doutores da lei, pois sobrecarregais os homens com fardos difíceis de carregar, mas vós nem com um dedo tocais esses fardos.

47. Ai de vós, pois edificais os túmulos dos profetas que vossos antepassados mataram.

48. Assim, sois testemunhas que aprovam as obras de vossos antepassados; pois eles mataram os profetas, e vós lhes edificais os túmulos.

49. Por isso diz a sabedoria de Deus: Eu lhes mandarei profetas e apóstolos; e eles matarão uns e perseguirão outros;

50. portanto, esta geração prestará contas do sangue derramado de todos os profetas, desde a fundação do mundo;

51. desde o sangue de Abel, até o sangue de Zacarias, morto entre o altar e o santuário; sim, eu vos digo, esta geração prestará contas.

52. Ai de vós, doutores da lei, porque retivestes a chave do conhecimento; vós mesmos não entrastes e impedistes os que desejavam entrar.

53. Ao sair ele dali, os escribas e os fariseus começaram a pressioná-lo com insistência e a interrogá-lo acerca de muitas coisas,

54. armando-lhe ciladas, a fim de o apanharem em alguma coisa que dissesse.