Atos 10

1. Havia um homem em Cesareia, cujo nome era Cornélio, centurião do regimento militar chamado Italiano.

2. Esse homem era piedoso e temente a Deus com toda a sua casa; dava muitas esmolas ao povo e continuamente orava a Deus.

3. Por volta da hora nona do dia, viu claramente numa visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e lhe dizia: Cornélio!

4. Fitando nele os olhos e atemorizado, ele perguntou: Que é, Senhor? O anjo lhe respondeu: Tuas orações e esmolas têm subido como memorial diante de Deus.

5. Então, envia agora homens a Jope e manda buscar Simão, também chamado Pedro.

6. Ele está hospedado com um certo Simão, o curtidor de peles, cuja casa fica à beira-mar. Ele te dirá o que deves fazer.

7. Logo que o anjo que lhe falava se retirou, Cornélio chamou dois dos seus servos e um soldado piedoso dos que estavam a seu serviço;

8. e, tendo-lhes contado tudo, enviou-os a Jope.

9. No dia seguinte, enquanto estavam a caminho, já perto da cidade, Pedro subiu ao terraço para orar, por volta da hora sexta.

10. E, sentindo fome, quis comer; mas, enquanto lhe preparavam a comida, sobreveio-lhe uma visão.

11. Ele viu o céu aberto e um objeto descendo, como se fosse um grande lençol, baixado pelas quatro pontas sobre a terra.

12. Nele havia todo tipo de quadrúpedes, animais que rastejam pela terra e aves do céu.

13. E uma voz lhe disse: Levanta-te, Pedro, mata e come.

14. Mas Pedro respondeu: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi algo profano ou impuro.

15. Pela segunda vez lhe falou a voz: Não chames de profano o que Deus purificou.

16. Isso aconteceu três vezes; e logo o objeto foi recolhido ao céu.

17. Enquanto Pedro, perplexo, refletia sobre o que seria a visão que tivera, os homens enviados por Cornélio, tendo perguntado pela casa de Simão, pararam à porta.

18. E, chamando, perguntaram se ali estava hospedado Simão, também chamado Pedro.

19. Pedro ainda estava meditando sobre a visão, quando o Espírito lhe disse: Dois homens te procuram.

20. Levanta-te, desce e vai com eles; e não duvides de nada, porque eu os enviei a ti.

21. Então Pedro desceu ao encontro dos homens e disse: Sou eu a quem procurais; por que viestes?

22. Eles responderam: O centurião Cornélio, homem justo e temente a Deus, que tem bom testemunho de toda a nação judaica, foi avisado por um santo anjo para te chamar a sua casa e ouvir as tuas palavras.

23. Pedro, então, convidou-os a entrar e os hospedou. No dia seguinte, Pedro levantou-se e partiu com eles, e alguns dentre os irmãos de Jope o acompanharam.

24. Um dia depois entrou em Cesareia. E Cornélio os esperava, tendo reunido os seus parentes e amigos mais chegados.

25. Quando Pedro estava para entrar, Cornélio foi ao seu encontro e, prostrando-se a seus pés, o adorou.

26. Mas Pedro o levantou e disse: Levanta-te, pois eu também sou um homem.

27. E conversando com ele, entrou e encontrou muitas pessoas reunidas;

28. e disse-lhes: Bem sabeis que não é permitido a um judeu misturar-se com não judeus ou aproximar-se deles. Mas Deus mostrou-me que a nenhum homem devo chamar profano ou impuro.

29. Portanto, sendo chamado, vim sem objeção. Então, pergunto: Por que mandastes me chamar?

30. Então Cornélio disse: Faz agora quatro dias que eu estava orando em minha casa à hora nona, quando, de repente, um homem com roupas resplandecentes se apresentou diante de mim

31. e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas foram lembradas diante de Deus.

32. Manda buscar Simão, também chamado Pedro, em Jope. Ele está hospedado na casa de Simão, o curtidor de peles, que fica à beira-mar.

33. Portanto, mandei logo te chamar, e fizeste bem em vir. Agora estamos todos aqui presentes diante de Deus, para ouvir tudo quanto te foi ordenado pelo Senhor.

34. E, tomando a palavra, Pedro disse: Na verdade, reconheço que Deus não trata as pessoas com base em preferências.

35. Mas, em qualquer nação, aquele que o teme e pratica o que é justo lhe é aceitável.

36. Ele enviou a palavra aos israelitas, anunciando o evangelho da paz por meio de Jesus Cristo; este é o Senhor de todos.

37. Essa palavra, vós bem sabeis, foi proclamada por toda a Judeia, começando pela Galileia, depois do batismo que João pregou,

38. e diz respeito a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda parte, fazendo o bem e curando todos os oprimidos pelo Diabo, porque Deus era com ele.

39. E somos testemunhas de tudo quanto ele fez, tanto na terra dos judeus como em Jerusalém; mas eles o mataram, pendurando-o num madeiro.

40. Deus o ressuscitou ao terceiro dia e lhe concedeu que se manifestasse

41. não a todo o povo, mas às testemunhas predeterminadas por Deus, a nós, que comemos e bebemos com ele, depois que ressuscitou dentre os mortos.

42. Ele nos ordenou que pregássemos ao povo e testemunhássemos que por Deus ele foi constituído juiz dos vivos e dos mortos.

43. Todos os profetas dão sobre ele testemunho de que, por meio do seu nome, todo o que nele crê receberá o perdão dos pecados.

44. Enquanto Pedro dizia essas coisas, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a palavra.

45. Os crentes que eram da circuncisão, todos os que tinham vindo com Pedro, admiraram-se de que o dom do Espírito Santo também fosse derramado sobre os gentios;

46. porque os ouviam falar em línguas e engrandecer a Deus. Então Pedro disse:

47. Será que alguém lhes pode recusar a água para que não sejam batizados, estes que, como nós, também receberam o Espírito Santo?

48. E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então lhe suplicaram que ficasse com eles durante alguns dias.