Atos 13

1. Na igreja em Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que havia crescido com o governante Herodes, e Saulo.

2. Enquanto cultuavam o Senhor e jejuavam, o Espírito Santo disse: Separai-me Barnabé e Saulo para a obra para a qual os tenho chamado.

3. Então, depois de jejuar, oraram e lhes impuseram as mãos; e deixaram que partissem.

4. Assim, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.

5. Chegando a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus e tinham João como auxiliar.

6. Depois de atravessar a ilha toda até Pafos, acharam um judeu, chamado Barjesus, que era mago e falso profeta.

7. Ele estava com o procônsul Sérgio Paulo, que era um homem sensato. Este chamou Barnabé e Saulo e demonstrou desejo de ouvir a palavra de Deus.

8. Mas Elimas, o mago (pois assim se traduz o seu nome), opunha-se a eles, procurando desviar o procônsul da fé.

9. Todavia, Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fixando os olhos nele,

10. disse: Ó filho do Diabo, cheio de todo engano e de toda maldade, inimigo de toda justiça, não cessarás de perverter os caminhos retos do Senhor?

11. Agora a mão do Senhor está contra ti e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. Imediatamente, névoa e escuridão caíram sobre ele; e, andando, procurava quem o guiasse pela mão.

12. Então, vendo o que havia acontecido, o procônsul creu, muito impressionado com o ensino do Senhor.

13. Então Paulo e seus companheiros navegaram de Pafos e chegaram a Perge, na Panfília. João, porém, separando-se deles, voltou para Jerusalém.

14. Mas eles, passando além de Perge, chegaram a Antioquia da Pisídia. Entraram na sinagoga, no dia de sábado, e sentaram-se.

15. Depois da leitura da Lei e dos Profetas, os chefes da sinagoga mandaram dizer-lhes: Irmãos, se tendes alguma palavra de exortação ao povo, falai.

16. Então Paulo se levantou e, pedindo silêncio com a mão, disse: Homens israelitas e vós tementes a Deus, ouvi:

17. O Deus deste povo de Israel escolheu nossos pais e exaltou o povo quando eram estrangeiros na terra do Egito, de onde os tirou com braço poderoso.

18. Ele os suportou no deserto por quase quarenta anos.

19. Depois de destruir as sete nações na terra de Canaã, deu-lhes o território delas por herança.

20. Isso tudo levou cerca de quatrocentos e cinquenta anos. Depois disso, deu-lhes juízes até o profeta Samuel.

21. Então pediram um rei, e, durante quarenta anos, Deus lhes deu como rei Saul, filho de Quis, homem da tribo de Benjamim.

22. Depois que tirou Saul, deu-lhes Davi como rei, do qual também testemunhou dizendo: Achei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda a minha vontade.

23. Da descendência deste, conforme a promessa, Deus trouxe a Israel o Salvador, Jesus.

24. Antes do aparecimento dele, João pregou a todo o povo de Israel um batismo de arrependimento.

25. Mas, ao concluir seu ministério, João dizia: Quem pensais que eu sou? Eu não sou o Cristo, mas depois de mim vem aquele de quem não sou digno de desatar as sandálias dos pés.

26. Irmãos, filhos da linhagem de Abraão, e os que dentre vós temem a Deus, foi a nós que a palavra desta salvação foi enviada.

27. Pois, os que habitam em Jerusalém e as suas autoridades não reconheceram Jesus e, condenando-o, cumpriram as palavras dos profetas que são lidas todos os sábados.

28. E, mesmo não encontrando nele nenhuma acusação digna de condenação à morte, pediram a Pilatos que ele fosse executado.

29. Quando terminaram de fazer todas as coisas que haviam sido escritas a respeito dele, tirando-o do madeiro, o puseram numa sepultura.

30. Mas Deus o ressuscitou dentre os mortos;

31. e ele foi visto durante muitos dias pelos que haviam subido com ele da Galileia para Jerusalém, os quais agora são suas testemunhas para o povo.

32. E nós vos anunciamos as boas-novas da promessa feita aos pais,

33. a qual Deus cumpriu para nós, filhos deles, ressuscitando Jesus, como também está escrito no segundo salmo: Tu és meu Filho, hoje te gerei.

34. E quanto a tê-lo ressuscitado dentre os mortos para nunca mais voltar à deterioração, Deus falou: Eu vos darei as santas e fiéis bênçãos de Davi.

35. Porque ainda em outro salmo diz: Não permitirás que o teu Santo sofra deterioração.

36. Porque Davi, depois de servir a sua própria geração pela vontade de Deus, adormeceu e foi posto junto a seus pais e sofreu deterioração.

37. Mas aquele a quem Deus ressuscitou não sofreu nenhuma deterioração.

38. Irmãos, ficai pois sabendo que por meio dele vos é anunciado o perdão dos pecados.

39. E por meio dele, todo o que crê é justificado de todas as coisas de que não pudestes ser justificados pela lei de Moisés.

40. Tomai cuidado para que não venha sobre vós o que foi falado nos profetas:

41. Vede, ó zombadores, admirai-vos e desaparecei; porque em vossos dias realizarei uma obra, obra na qual jamais creríeis se alguém vos contasse.

42. Quando iam saindo, rogavam-lhes que lhes repetissem essas palavras no sábado seguinte.

43. E, quando a reunião acabou, muitos judeus e gentios devotos convertidos ao judaísmo seguiram Paulo e Barnabé, os quais, falando-lhes, os encorajavam a perseverar na graça de Deus.

44. No sábado seguinte, quase toda a cidade reuniu-se para ouvir a palavra de Deus.

45. Mas, vendo as multidões, os judeus encheram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava.

46. Então Paulo e Barnabé falaram corajosamente: Era necessário que em primeiro lugar se pregasse a vós a palavra de Deus. Mas, visto que a rejeitais e não vos considerais dignos da vida eterna, nós nos voltamos para os gentios.

47. Porque assim o Senhor nos ordenou: Eu te pus como luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra.

48. Ouvindo isso, os gentios alegravam-se e glorificavam a palavra do Senhor. E todos os que haviam sido destinados para a vida eterna creram.

49. E a palavra do Senhor divulgava-se por toda a região.

50. Mas os judeus incitaram as mulheres devotas de alta posição e os principais líderes da cidade, provocando uma perseguição contra Paulo e Barnabé, e os expulsaram do seu território.

51. Mas estes, sacudindo contra eles o pó dos pés, partiram para Icônio.

52. Os discípulos, porém, estavam cheios de alegria e do Espírito Santo.