Romanos 15

1. Nós, que somos fortes, temos o dever de suportar as fraquezas dos fracos, em vez de agradar a nós mesmos.

2. Portanto, cada um de nós deve agradar o próximo, visando o que é bom para a edificação dele.

3. Porque também Cristo não agradou a si mesmo, mas, como está escrito: As ofensas dos que te ofendiam caíram sobre mim.

4. Porque tudo o que foi escrito no passado foi escrito para nossa instrução, para que tenhamos esperança por meio da perseverança e do ânimo que provêm das Escrituras.

5. Que o Deus da perseverança e do ânimo vos dê o mesmo modo de pensar entre vós, segundo Cristo Jesus.

6. Para que, unânimes e a uma só voz, glorifiqueis o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

7. Portanto, acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo nos acolheu, para glória de Deus.

8. Afirmo, pois, que Cristo se tornou servo da circuncisão, por causa da fidelidade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos patriarcas;

9. e para que os gentios glorifiquem a Deus pela sua misericórdia, como está escrito: Portanto, eu te louvarei entre os gentios e cantarei hinos ao teu nome.

10. E diz ainda: Alegrai-vos, gentios, juntamente com o seu povo.

11. E ainda: Louvai ao Senhor, todos os gentios, e louvem-no, todos os povos.

12. E, outra vez, Isaías também diz: Surgirá a raiz de Jessé, aquele que se levantará para reger os gentios; nele os gentios colocarão a esperança.

13. Que o Deus da esperança vos encha de toda alegria e paz na vossa fé, para que transbordeis na esperança pelo poder do Espírito Santo.

14. Meus irmãos, quanto a mim, estou convencido de que já estais cheios de bondade e plenamente supridos de todo conhecimento, sendo, vós mesmos, capazes de instruir-vos uns aos outros.

15. Mas, em parte, vos escrevo mais francamente, para vos lembrar de algumas coisas por causa da graça que me foi concedida por Deus,

16. para ser um servo de Cristo Jesus entre os gentios, servindo ao evangelho de Deus como sacerdote, para que os gentios sejam aceitáveis a Deus como oferta santificada pelo Espírito Santo.

17. Portanto, tenho motivo para me gloriar em Cristo Jesus, nas coisas pertinentes a Deus;

18. porque não ousarei falar de coisa alguma senão daquilo que Cristo tem feito por meu intermédio, para obediência dos gentios, em palavra e ação,

19. pelo poder de sinais e prodígios, no poder do Espírito Santo; de modo que desde Jerusalém e arredores, até o Ilírico, tenho proclamado plenamente o evangelho de Cristo.

20. Desse modo, esforcei-me por anunciar o evangelho não onde Cristo já havia sido proclamado, para não edificar sobre fundamento alheio;

21. pelo contrário, como está escrito: Aqueles a quem não foi anunciado, o verão; e os que não ouviram, entenderão.

22. É por isso que muitas vezes tenho sido impedido de chegar até vós.

23. Mas, agora, não tendo mais o que me detenha nessas regiões, e tendo já há muitos anos grande desejo de visitar-vos,

24. eu o farei quando for à Espanha; pois espero ver-vos de passagem e ser encaminhado por vós para lá, depois de experimentar um pouco da vossa companhia.

25. Mas agora vou para Jerusalém, para servir aos santos.

26. Porque pareceu bem às igrejas da Macedônia e da Acaia levantar uma oferta fraternal para os pobres dentre os santos de Jerusalém.

27. Isso lhes pareceu bem, como devedores que são para com eles. Porque, se os gentios participaram das bênçãos espirituais dos judeus, devem também servi-los com bens materiais.

28. Tendo concluído isso, e certificando-me de que receberam esse fruto, partirei para a Espanha, passando para visitá-los.

29. E bem sei que, quando vos for visitar, chegarei na plenitude da bênção de Cristo.

30. Rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que luteis juntamente comigo nas vossas orações em meu favor diante de Deus,

31. para que eu fique livre dos rebeldes na Judeia e para que este meu serviço em Jerusalém seja aceitável aos santos;

32. a fim de que, pela vontade de Deus, eu chegue até aí com alegria e possa recobrar as forças entre vós.

33. Que o Deus de paz seja com todos vós. Amém.