Tiago 3

1. Meus irmãos, muitos de vós não devem ser mestres, sabendo que seremos julgados de forma mais severa.

2. Todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça no falar, esse homem é perfeito e capaz de refrear também seu corpo inteiro.

3. Se colocamos freios na boca dos cavalos para que nos obedeçam, então conseguimos dirigir-lhes o corpo todo.

4. Vede também os navios: embora tão grandes e levados por ventos impetuosos, são conduzidos por um pequenino leme para onde o timoneiro quer.

5. Assim também a língua é um pequeno membro do corpo, mas se gaba de grandes coisas. Vede como um grande bosque é incendiado por uma faísca.

6. A língua também é um fogo; sim, como um mundo de maldade, ela é colocada entre os membros do nosso corpo, contamina todo o corpo e põe em chamas o curso da nossa existência, sendo por sua vez posta em chamas pelo inferno.

7. Pois toda espécie de feras, aves, répteis e animais marinhos doma-se e tem sido domada pelo gênero humano.

8. Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode conter; está cheia de veneno mortal.

9. Com a língua bendizemos o Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.

10. Da mesma boca procedem bênção e maldição. Meus irmãos, isso não deve ser assim.

11. Será que da mesma fonte podem jorrar água doce e água amarga?

12. Meus irmãos, acaso uma figueira pode produzir azeitonas, ou uma videira, figos? Tampouco uma fonte de água salgada pode dar água doce.

13. Quem entre vós é sábio e tem conhecimento? Mostre suas obras pelo seu bom procedimento, em humildade de sabedoria.

14. Mas não vos orgulheis, nem mintais contra a verdade, se tendes inveja amarga e sentimento ambicioso no coração.

15. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e demoníaca.

16. Pois onde há inveja e sentimento ambicioso, aí há confusão e todo tipo de práticas nocivas.

17. Mas a sabedoria que vem do alto é, em primeiro lugar, pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sem hipocrisia.

18. O fruto da justiça semeia-se em paz para aqueles que promovem a paz.