Juízes 13

1. Os israelitas voltaram a fazer o que era mau aos olhos do SENHOR; por isso ele os entregou nas mãos dos filisteus durante quarenta anos.

2. Havia um homem em Zorá, da tribo de Dã, chamado Manoá, cuja mulher era estéril, nunca lhe dera filhos.

3. Mas o anjo do SENHOR apareceu à mulher e lhe disse: És estéril e nunca deste à luz. Mas engravidarás e terás um filho.

4. Agora, toma cuidado e não bebas vinho nem bebida forte, e não comas coisa alguma impura;

5. porque engravidarás e terás um filho; sobre a cabeça dele não passará navalha, porque o menino será nazireu de Deus desde o ventre da mãe. E começará a libertar Israel do domínio dos filisteus.

6. Então a mulher entrou e contou tudo ao marido: Um homem de Deus veio falar comigo; seu semblante era como o de um anjo de Deus, sua aparência era temível. Não lhe perguntei de onde era, e ele não me revelou seu nome,

7. mas me disse: Tu engravidarás e terás um filho. Por isso, não bebas vinho nem bebida forte, e não comas coisa impura; porque o menino será nazireu de Deus desde o ventre da mãe até o dia da sua morte.

8. Então Manoá suplicou ao SENHOR: Ah! Senhor meu, suplico-te que o homem de Deus que enviaste venha até nós mais uma vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que vai nascer.

9. Deus ouviu a oração de Manoá, e o anjo de Deus foi falar com a mulher mais uma vez, quando ela estava sentada no campo; mas Manoá, seu marido, não estava com ela.

10. Então a mulher correu depressa até sua casa para dar a notícia ao marido e lhe disse: Apareceu aquele homem que veio falar comigo outro dia.

11. Então Manoá se levantou e seguiu sua mulher. Quando chegou perto do homem, perguntou-lhe: És tu o homem que falou com minha mulher? Ele respondeu: Sou eu.

12. Então Manoá disse: Quando as tuas palavras se cumprirem, como devemos criar o menino, e o que ele fará?

13. O anjo do SENHOR respondeu a Manoá: Tua mulher terá de cumprir tudo o que lhe ordenei.

14. Ela não poderá comer de nenhum produto da videira; não beberá vinho nem bebida forte, nem comerá coisa impura; cumprirá tudo o que lhe ordenei.

15. Então Manoá disse ao anjo do SENHOR: Fica conosco para que preparemos um cabrito para ti.

16. Mas o anjo do SENHOR disse a Manoá: Mesmo que eu fique, não comerei de teu pão; e, se fizeres holocausto, oferece-o ao SENHOR. (Pois Manoá não sabia que era o anjo do SENHOR.)

17. Manoá ainda perguntou ao anjo do SENHOR: Qual é o teu nome, para que te honremos quando se cumprir a tua palavra?

18. O anjo do SENHOR lhe respondeu: Por que perguntas pelo meu nome? Meu nome está além do entendimento.

19. Então Manoá tomou um cabrito com a oferta de cereais e o ofereceu ao SENHOR sobre a pedra. E o anjo fez maravilhas enquanto Manoá e sua mulher o observavam;

20. ao subir a chama do altar para o céu, o anjo do SENHOR subiu com ela. Quando Manoá e sua mulher viram isso, caíram com o rosto em terra.

21. Como o anjo do SENHOR não apareceu mais a Manoá nem à sua mulher, Manoá compreendeu que era o anjo do SENHOR.

22. E disse à sua mulher: Certamente morreremos, pois vimos a Deus.

23. Mas a mulher lhe respondeu: Se o SENHOR quisesse nos matar, não teria aceitado o holocausto e a oferta de cereais das nossas mãos, nem teria nos mostrado todas essas coisas, nem teria nos revelado o que nos revelou.

24. Depois disso, a mulher deu à luz um filho, a quem chamou Sansão. O menino cresceu, e o SENHOR o abençoou.

25. E o Espírito do SENHOR começou a agir nele em Maané-Dã, entre Zorá e Estaol.