Juízes 4

1. Mas, depois da morte de Eúde, os israelitas voltaram a fazer o que era mau aos olhos do SENHOR.

2. E este os entregou nas mãos de Jabim, rei de Canaã, que reinava em Hazor. O comandante do seu exército era Sísera, que habitava em Harosete-Hagoim.

3. Então os israelitas clamaram ao SENHOR, pois Jabim, que tinha novecentos carros de guerra feitos de ferro, os havia oprimido com crueldade durante vinte anos.

4. Ora, quem julgava Israel naquela época era a profetisa Débora, mulher de Lapidote.

5. Ela se assentava debaixo da palmeira de Débora, entre Ramá e Betel, na região montanhosa de Efraim, e os israelitas iam a ela para que julgasse suas questões.

6. Certo dia, ela mandou chamar Baraque, filho de Abinoão, de Quedes-Naftali, e disse-lhe: O SENHOR, Deus de Israel, te ordena: Vai, ajunta dez mil homens dos filhos de Naftali e dos filhos de Zebulom, e conduze-os ao monte Tabor.

7. Farei com que Sísera, chefe do exército de Jabim, te ataque com os seus carros de guerra e suas tropas junto ao ribeiro de Quisom; e o entregarei nas tuas mãos.

8. E Baraque disse-lhe: Se fores comigo, irei; mas não irei se não fores.

9. Ela respondeu: É certo que irei contigo, mas a honra desta expedição não será tua, pois o SENHOR entregará Sísera nas mãos de uma mulher. Então Débora foi com Baraque até Quedes,

10. onde ele convocou Zebulom e Naftali. Dez mil homens o seguiram, e Débora também foi com ele.

11. Um queneu chamado Héber havia se separado dos outros queneus, dos filhos de Hobabe, sogro de Moisés, e armado suas tendas junto ao carvalho de Zaananim, próximo de Quedes.

12. Quando anunciaram a Sísera que Baraque, filho de Abinoão, havia subido ao monte Tabor,

13. Sísera reuniu todos os seus novecentos carros de ferro e todos os seus soldados, desde Harosete-Hagoim até o ribeiro de Quisom.

14. Então Débora disse a Baraque: Levanta-te, porque este é o dia em que o SENHOR entregou Sísera nas tuas mãos. É certo que o SENHOR já foi à tua frente. Então Baraque desceu do monte Tabor, e dez mil homens o seguiram.

15. Diante do avanço de Baraque, o SENHOR derrotou Sísera ao fio da espada, com todos os seus carros e todo o seu exército. Sísera desceu do seu carro e fugiu a pé.

16. Mas Baraque perseguiu os carros de guerra e o exército até Harosete-Hagoim. Todo o exército de Sísera caiu ao fio da espada; não restou um só homem.

17. Mas Sísera fugiu a pé para a tenda de Jael, mulher de Héber, o queneu, pois havia paz entre Jabim, rei de Hazor, e a casa de Héber, o queneu.

18. Jael saiu ao encontro de Sísera e disse-lhe: Entra, meu senhor, entra aqui; não temas. Ele entrou na sua tenda, e ela o cobriu com uma coberta.

19. Então ele lhe disse: Peço-te que me dês um pouco de água, pois estou com sede. Ela abriu uma vasilha de couro cheia de leite, deu-lhe de beber e o cobriu.

20. E ele ainda lhe disse: Fica à entrada da tenda, e se alguém vier e te perguntar: Há alguém aí?, responde: Não.

21. Entretanto, Jael, mulher de Héber, pegou uma estaca da tenda e um martelo e aproximou-se em silêncio, enquanto ele dormia profundamente, pois estava exausto. Então, cravou-lhe a estaca na têmpora até penetrar no chão, e ele morreu.

22. Enquanto Baraque passava à procura de Sísera, Jael saiu ao seu encontro e lhe disse: Vem, e te mostrarei o homem que procuras. Quando Baraque entrou na tenda, viu Sísera caído e morto, com a estaca na têmpora.

23. Dessa forma, naquele dia, Deus subjugou Jabim, rei de Canaã, diante dos israelitas.

24. E o poder dos israelitas sobre Jabim, rei de Canaã, tornou-se cada vez maior, até que eles o destruíram.