1 Samuel 18

1. Depois que Davi terminou de falar com Saul, Jônatas se tornou muito amigo de Davi; e Jônatas o amou como a si próprio.

2. Daquele dia em diante, Saul o manteve consigo e não permitiu que voltasse para a casa de seu pai.

3. Então Jônatas fez um acordo com Davi, porque o amava como a si mesmo.

4. Jônatas tirou a capa que vestia e a deu a Davi, como também sua armadura, e até mesmo sua espada, seu arco e seu cinto.

5. E Davi ia aonde quer que Saul o enviasse, e era sempre bem-sucedido; por isso Saul o colocou no comando das tropas, e isso pareceu bem a todo o povo e até aos servos de Saul.

6. Mas sucedeu que quando eles retornavam, depois de Davi ter matado o filisteu, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e dançando alegremente, com tamboris e com instrumentos de música.

7. E as mulheres, dançando, cantavam umas para as outras: Saul feriu milhares, mas Davi dez milhares.

8. Então Saul se enfureceu e não se agradou daquilo; e disse: Elas atribuem dez milhares a Davi, e a mim somente milhares; o que mais lhe falta, senão o reino?

9. Daquele dia em diante, Saul passou a olhar para Davi com inveja.

10. No dia seguinte, o espírito mau da parte de Deus se apoderou de Saul, que começou a ter manifestações proféticas no meio da casa enquanto Davi tocava a harpa, como de costume. Saul trazia na mão uma lança.

11. E Saul arremessou a lança, pensando: Vou encravar Davi na parede. Mas Davi desviou-se dele por duas vezes.

12. E Saul temia Davi, porque o SENHOR estava com Davi e havia se retirado dele.

13. Por isso Saul o afastou de sua companhia e o fez comandante de mil; e Davi comandava as guerras à frente do exército.

14. Davi era bem-sucedido em todos os seus caminhos, pois o SENHOR estava com ele.

15. Vendo que ele era tão bem-sucedido, Saul tinha receio dele.

16. Mas todo o Israel e Judá amavam Davi, porque os comandava nas batalhas.

17. Então Saul disse a Davi: Aqui está Merabe, minha filha mais velha. Eu a darei a ti por mulher, contanto que me sirvas como guerreiro valente e lutes nas guerras do SENHOR. Pois Saul pensava: Eu não o ferirei, mas deixarei que os filisteus o façam.

18. Mas Davi disse a Saul: Quem sou eu, e quem são meus parentes e a família de meu pai em Israel, para que eu seja genro do rei?

19. Mas quando chegou o tempo de Merabe, filha de Saul, ser dada a Davi, ela foi concedida em casamento a Adriel, meolatita.

20. Mas Mical, a outra filha de Saul, amava Davi. Quando contaram isso a Saul, ele se alegrou,

21. e Saul pensou: Eu a darei a ele, para que ela lhe sirva de armadilha e para que a mão dos filisteus o derrote. Então Saul disse a Davi: Serás hoje meu genro com minha outra filha.

22. Então Saul deu ordem aos seus servos: Falai em segredo a Davi: O rei está contente contigo, e todos os seus servos te querem bem; agora, consente em ser genro do rei.

23. Assim os servos de Saul disseram tudo isso em particular a Davi. Então Davi disse: Pensais que é fácil ser genro do rei? Sou homem pobre e de condição humilde.

24. Os servos de Saul lhe anunciaram o que Davi havia falado.

25. Então Saul disse: Assim direis a Davi: O rei não exigirá um dote: apenas cem prepúcios de filisteus, para que seja vingado dos seus inimigos. Saul pretendia que Davi caísse nas mãos dos filisteus.

26. Quando os servos de Saul disseram isso a Davi, agradou-lhe a ideia de tornar-se genro do rei. E, antes de vencer o prazo,

27. Davi se levantou, partiu com os seus homens e matou duzentos filisteus. Davi trouxe os prepúcios deles e os entregou, bem contados, ao rei, para que se tornasse seu genro. Então Saul lhe deu sua filha Mical por mulher.

28. Mas quando Saul viu e compreendeu que o SENHOR estava com Davi e que todo o Israel o amava,

29. temeu muito mais a Davi; e cada vez mais Saul se tornava seu inimigo.

30. Então os chefes dos filisteus saíram em campanha; e sempre que eles saíam, Davi era mais bem-sucedido do que todos os servos de Saul; por isso, ele se tornou muito famoso.