1 Samuel 26

1. Os zifeus foram a Saul, em Gibeá, dizendo: Davi está se escondendo no monte de Haquila, em frente de Jesimom.

2. Então Saul se levantou e desceu ao deserto de Zife, levando consigo três mil dos melhores homens de Israel, à procura de Davi no deserto de Zife.

3. Saul acampou no monte de Haquila, em frente de Jesimom, perto do caminho; porém Davi ficou no deserto e, quando percebeu que Saul vinha atrás dele, ao deserto,

4. enviou espias e certificou-se de que Saul havia chegado.

5. Então Davi se levantou e foi ao lugar onde Saul estava acampado; Davi viu o lugar onde Saul e Abner, filho de Ner, chefe do seu exército, dormiam. Saul estava deitado no acampamento, e os soldados, acampados ao redor dele.

6. Então Davi dirigiu-se a Aimeleque, o heteu, e a Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe, e perguntou: Quem descerá comigo a Saul, ao acampamento? Abisai respondeu: Eu irei contigo.

7. Davi e Abisai foram de noite ao exército; Saul estava deitado, dormindo no acampamento, e a sua lança estava fincada na terra, à sua cabeceira; e Abner e os soldados estavam deitados ao redor dele.

8. Então Abisai disse a Davi: Hoje Deus te entregou o teu inimigo em tuas mãos; deixa-me agora encravá-lo na terra, com a lança, em um só golpe; não o ferirei uma segunda vez.

9. Mas Davi respondeu a Abisai: Não o mates; pois quem pode estender a mão contra o ungido do SENHOR e ficar inocente?

10. Davi disse mais: Assim como vive o SENHOR, ou o SENHOR o ferirá, ou chegará o seu dia e morrerá, ou descerá para a batalha e morrerá;

11. porém o SENHOR me guarde de estender a mão contra o ungido do SENHOR. Agora, pega a lança que está à sua cabeceira, e o jarro dágua, e vamos embora.

12. Então, Davi pegou a lança e o jarro dágua da cabeceira de Saul, e eles se foram. Ninguém os viu, nem os ouviu, e ninguém acordou; porque todos estavam dormindo, pois o SENHOR os fizera cair em profundo sono.

13. Então Davi foi para o outro lado e se colocou no topo do monte, ao longe, de maneira que havia grande distância entre eles.

14. E Davi gritou ao povo, e a Abner, filho de Ner: Não responderás, Abner? Então Abner respondeu e disse: Quem és tu, que gritas ao rei?

15. Davi disse a Abner: Tu não és um homem? E quem em Israel é igual a ti? Por que não protegeste o rei, teu senhor? Alguém veio para matar o rei, teu senhor.

16. O que fizeste não é bom. Vive o SENHOR, que sois dignos de morte, porque não destes proteção a vosso senhor, o ungido do SENHOR. Vede agora onde está a lança do rei e o jarro dágua que estava à sua cabeceira.

17. Saul reconheceu a voz de Davi e disse: Não é esta a tua voz, meu filho Davi? Respondeu Davi: É minha voz, ó rei, meu senhor.

18. Disse mais: Por que o meu senhor persegue tanto o seu servo? Que fiz eu? De que erro sou culpado?

19. Ó rei, meu senhor, ouve agora as palavras de teu servo: Se é o SENHOR quem te incita contra mim, receba ele uma oferta; porém, se são os homens, malditos sejam diante do SENHOR, pois eles me expulsaram hoje para que eu não tenha parte na herança do SENHOR, dizendo: Vai, serve a outros deuses.

20. Agora, não caia o meu sangue em terra fora da presença do SENHOR; pois o rei de Israel saiu em busca de uma pulga, como quem persegue uma perdiz nos montes.

21. Então Saul disse: Pequei; volta, meu filho Davi, pois não tornarei a fazer-te mal, porque a minha vida foi hoje preciosa aos teus olhos. Eu procedi como um louco e cometi um grande erro.

22. Davi então respondeu e disse: Aqui está a lança, ó rei! Manda um dos servos vir pegá-la.

23. Porém o SENHOR recompense a cada um conforme a sua justiça e a sua lealdade; pois o SENHOR te entregou hoje na minha mão, mas eu não quis ferir o ungido do SENHOR.

24. E, assim como a tua vida foi preciosa aos meus olhos hoje, seja a minha vida preciosa aos olhos do SENHOR, para que ele me livre de todo sofrimento.

25. Então Saul disse a Davi: Bendito sejas tu, meu filho Davi, pois farás grandes coisas e também certamente prevalecerás. Então Davi seguiu seu caminho, e Saul voltou para casa.